You are here

Fundação dos Bancos Sociais comemora resultados conquistados em 2010

O ano de 2010 foi especial para a Fundação Gaúcha dos Bancos Sociais, iniciativa encabeçada pelo Comitê de Cidadania da FIERGS. Um dos destaques foi a comemoração aos dez anos de atuação do Banco de Alimentos − marcada pela realização de um evento no mês de novembro, com palestras de representantes e idealizadores do trabalho e de Christopher Rebstock, presidente da entidade norte-americana Global FoodBanking Network, dedicada à criação, suporte e fortalecimento dos Bancos de Alimentos em todo o mundo. Ao longo de 2010 a iniciativa captou e doou 2,8 milhões de quilos de mantimentos para mais de 330 entidades carentes, além de receber homenagens do Banco de Alimentos da Alemanha, do Sport Club Internacional, da Assembleia Legislativa e do Sinepe-RS. Em uma década, 16 milhões de quilos de gêneros alimentícios foram recolhidos, que representam 49 milhões de refeições. Em março, também foi lançada a Rede Brasileira de Bancos de Alimentos, responsável pela criação e padronização de novas entidades em todo o País, com a inclusão de unidade no Rio de Janeiro − a primeira fora do RS. Outro destaque foi o site Clique Alimentos (www.cliquealimentos.com.br), que envolveu internautas de todo o mundo e resultou em um milhão de acessos − número revertido em quilos de alimentos doados por empresas parceiras.

A participação das centenas de pessoas que integram o Banco de Voluntários também foi de grande importância para os resultados do Banco de Alimentos. Eles participaram de dez edições da campanha Sábado Solidário e de outros eventos que contribuíram para a arrecadação de toneladas de produtos. Ainda sobre alimentação, o Banco de Refeições Coletivas encerra o ano com 65 empresas responsáveis pela doação de mais de 267,1 mil refeições a entidades atendidas pelo programa. Na área de leitura, o Banco de Livros recebeu neste ano 381.405 publicações, recolhidas em diversas campanhas. No ano, mais de 11,3 mil unidades foram destinadas a creches, asilos, escolas, presídios, entre outros.

O Banco de Tecidos Humanos, único do gênero no Brasil, totalizou cerca de 22.550 centímetros quadrados de pele no período, enviados a dez cidades de diferentes estados brasileiros. O Banco de Órgãos e Transplantes organizou uma série de palestras em escolas e hospitais sobre a importância da doação. Já o Banco de Medicamentos promoveu contatos com laboratórios de todo o País. Também reorganizou sua forma de operação, principalmente diante das exigências dos órgãos que regulam o setor.

Entre os resultados do Banco de Resíduos está a consolidação da Bolsa de Recicláveis, que atingiu a marca de mais de 10 mil empresas cadastradas no Rio Grande do Sul. Já o trabalho do Banco de Vestuários beneficiou clubes de mães e associações com mais de 30,2 mil quilos de retalhos, tecidos e aviamentos, transformados em artesanato e renda para as comunidades onde as artesãs estão inseridas. Outro destaque foram os mais de 18,6 mil itens como portas, pias, vasos, janelas e galões de tintas compartilhados por lojas e construtoras junto ao Banco de Materiais de Construção. O Banco de Mobiliários recebeu 6.809 móveis e foi responsável pela restauração, confecção e doação de 466 unidades para entidades. O Banco de Computadores recebeu 2.671 equipamentos de informática, dos quais 336 foram destinados a iniciativas beneficentes.

Em 2010, o Banco de Gestão e Sustentabilidade deu início ao processo de recadastramento das 331 entidades atendidas pela Fundação - trabalho que ajudará a conhecer as carências e identificar as instituições mais necessitadas. O banco também recebeu uma nova Rede Lógica que qualificará os dados, facilitando o controle de cadastros, estoques e logística. Para o Banco de Projetos Comunitários, o objetivo é capacitar instituições assistenciais na elaboração de projetos para a captação de recursos financeiros. Um dos destaques neste período foi a participação na construção do Lar de Excepcionais Santa Rita de Cássia, orçado em R$ 5 milh