Se encuentra usted aquí

PAC 2 vai melhorar competitividade da indústria

Os recursos de quase R$ 1,6 trilhão para obras anunciados pelo Governo Federal na manhã desta segunda-feira (29), em Brasília, na nova etapa do Programa de Aceleração do Crescimento, agradou ao setor industrial gaúcho. O conjunto de ações foi dividido em duas fases: 2011 a 2014 e pós-2014. As ações são focadas em Energia; Água e Luz Para Todos; Comunidade Cidadã; Minha Casa, Minha Vida; Transportes e Cidade Melhor.

O presidente da FIERGS, Paulo Tigre, defendeu os investimentos em infraestrutura como suporte para a competitividade da economia brasileira. O montante destinado à área de energia do PAC 2 vai somar R$ 1,09 trilhão, o maior volume de recursos do programa. Do total reservado à área de transportes, (R$ 109 bilhões), R$ 50,4 bilhões serão destinados para a expansão do sistema rodoviário. "Sem investimentos significativos em infraestrutura, não há condições de competir no mundo globalizado. Podemos fabricar o melhor produto, com os menores preços internacionais, mas esse produtos necessitam chegar ao porto pelo mais baixo custo e com integridade garantida. A infraestrutura é o lastro da competitividade", comentou o industrial.

O posicionamento do setor público como indutor do desenvolvimento também é celebrado pela FIERGS. "O anúncio do PAC 2 representa que o Estado brasileiro está atuando em uma de suas funções originais. Os investimentos anunciados são fundamentais para que o Brasil mantenha os níveis de competitividade conquistados. Temos muitos gargalos de logística que precisam ser enfrentados, e essa segunda fase do Programa vai nessa direção", completou Tigre.

O industrial também defendeu uma nova dinâmica da máquina pública, pois "a burocracia não pode atrapalhar ou atrasar os investimentos do PAC 2", ponderou.