Se encuentra usted aquí

Banco de Livros já é uma realidade

Iniciativa pioneira no país foi lançada nesta quarta-feira, em Porto Alegre

O Rio Grande do Sul é o primeiro Estado do Brasil a contar com um Banco de Livros. A iniciativa é da Fundação Gaúcha dos Bancos Sociais, ligada ao Sistema FIERGS, e foi lançada na noite desta quarta-feira, no Memorial RS, dentro da programação da 54ª Feira do Livro.

O projeto foi trabalhado por 18 meses até que se tornasse realidade e só durante a cerimônia, já captou mais de 5 mil títulos doados por empresas e entidades. O Banco de Livros vai funcionar nos mesmos moldes dos outros 13 Bancos Sociais existentes, transformando o desperdício em benefício social. Os volumes vão ser usados para a montagem de novas bibliotecas em comunidades carentes, presídios, cidades sem biblioteca. "A idéia é levar livro para quem quer ler. Todos nós temos livros que estão só ocupando espaço em casa. Temos que colocar todo este conhecimento para circular e o Banco de Livros é a melhor maneira de fazer isto", entusiasma-se o presidente Waldir da Silveira.

Até o dia 16, quando se encerra a Feira do Livro, o público também pode fazer doações em caixas espalhadas pela Praça da Alfândega e no Cais do Porto. A partir da próxima semana, começa a ser instalada uma imensa rede de captação, com pontos de coleta em escolas, postos de gasolina, indústrias, estádios, shoppings e pontos de grande circulação. "O Banco de Alimentos, por exemplo, em oito anos, encaminhou 10 milhões de quilos de alimentos a quem precisava. E se o livro é o alimento da alma, podemos fazer o mesmo com estas publicações", disse o coordenador do Conselho de Cidadania da FIERGS, Jorge Buneder.

O industrial Jorge Gerdau Johannpeter, que participou do lançamento destacou que o projeto é muito inovador e pode ser levado para todo o Brasil. "O País está descobrindo o trabalho fantástico feito pela Fundação Gaúcha dos Bancos Sociais e podemos ter Bancos de Livros em todos os Estados", comentou o industrial.