Se encuentra usted aquí

Cidadania

Sustentabilidade e cidadania são os temas dos projetos vencedores do Prêmio Sesi Construindo a Nação

O presidente da FIERGS, Heitor José Müller, afirmou esta tarde na entrega do Prêmio Sesi Construindo a Nação que a cerimônia foi uma pausa em debates mais áridos para homenagear alunos, professores e orientadores "pelas ações que melhoram a vida de suas comunidades". "As premiações de hoje mostram o compromisso e a responsabilidade de jovens estudantes em construir uma sociedade mais promissora", destacou. Os projetos Reciclando ideias para um planeta diferente (Escola Municipal de Ensino Infantil Dr. José Flores Cruz, de Montenegro, em Educação Infantil), Bairro dos Gringos, História e Evolução (Escola Municipal de Ensino Fundamental Marquês do Herval, de Campo Bom, Ensino Fundamental), O mundo que tu ouves é o mesmo que eu vejo − Semana do Surdo (Escola de Educação Básica Prudente de Morais, Osório, Ensino Médio) e Inclusão Digital − Faço Parte desta rede (Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Campo Bom, Políticas Pública e Privada) receberam o Prêmio Construindo a Nação, promovido pelo Sesi-RS, integrante do Sistema FIERGS, CNI e Instituto de Cidadania Brasil, nesta quarta-feira, na sede da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul. A distinção tem como objetivo estimular iniciativas de cidadania com a participação de estudantes da rede pública e privada. A proposta é torná-los protagonistas de ações voltadas às necessidades das comunidades no entorno de suas escolas. Para a sétima edição, 30 escolas se inscreveram. As três escolas também receberam uma bolsa de estudo para um curso do Senai.

Os vencedores

Vencedor na categoria de Educação Infantil, Reciclando Ideias para um Planeta Diferente tenta valorizar pequenos atos do dia-a-dia que podem ajudar na questão da sustentabilidade. O projeto da escola de Montenegro estimula que alunos e comunidade tenham iniciativas como a separação do lixo, a reciclagem, o reaproveitamento, a redução do consumo - principalmente da água e de itens descartáveis - e a valorização da vida, com destaque na arborização e no cuidado com as plantas. A segunda colocada foi Escola Municipal de Ensino Fundamental Benno Breuing, de Venâncio Aires, com Água: essência da vida e saúde.

Bairro dos Gringos, História e Evolução, primeiro colocado em Ensino Fundamental, resultou em um atlas digital que servirá de base para pesquisas futuras de alunos da escola. O projeto da escola de Campo Bom buscou resgatar a memória histórica e cultural do local. Mucker: uma história para relembrar, da EMEF Centro de Educação Integrada, também de Campo Bom, ficou em segundo lugar e De mãos dadas com a Vida, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Vila Aparecida, de Portão, ficou em terceiro.

No Ensino Médio, O mundo que tu ouves é o mesmo que eu vejo − Semana do Surdo da EEB Prudente de Morais, de Osório, ficou em primeiro lugar com um projeto que tem por objetivo divulgar a Libras como canal de comunicação e instrumento de integração social, bem como, conscientizar a população da necessidade de aprender a linguagem para romper fronteira entre o mundo surdo e o mundo ouvinte. Um por todos e todos por um! Pela ética e cidadania, do Colégio Marista Conceição de Passo Fundo, ficou com o segundo lugar, e Centro Voluntariado Juvenil, do Colégio Maria Imaculada de Porto Alegre, em terceiro.

A Secretaria de Educação de Campo Bom teve seu Inclusão Digital − Campo Bom/RS: Faço parte desta rede foi a primeira colocada na categoria Políticas Pública e Privada. Seu objetivo é atender a comunidade campo-bonense no acesso à informação e comunicação. Dentro dessa perspectiva o projeto é edificado em três eixos: os espaços que promovem a inclusão digital, os recursos de tecnologia de informação e comunicação e os projetos educacionais vinculados ao projeto maior. Em segundo lugar ficou a Prefeitura Municipal de Portão com Coleta Seletiva e a Educação Ambiental, e a Sociedade Escolar de Santa Cruz do Sul foi a terceira, com o projeto Cidadania em Movimen