AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | TEL.: 51-3347.8787

Você está aqui

Atividade da indústria gaúcha encerra março negativa

Economia

Após recuperar um pouco de fôlego nos dois primeiros meses do ano, a indústria gaúcha perdeu o ritmo e voltou cair em março. O Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) recuou 3,4% em relação a fevereiro, na série ajustada sazonalmente. Um dos fatores que influenciou o resultado foi o menor número de dias trabalhados devido ao feriado de carnaval. "Há inúmeras questões que continuam pesando sobre o setor produtivo, como desaceleração da demanda interna, dificuldade em competir com os importados, acúmulo de estoques, aumento dos juros e retirada de incentivos fiscais", avaliou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Heitor José Müller, destacando que o ano atípico, com a Copa do Mundo e o risco de racionamento de energia, torna o panorama ainda mais incerto.

Com exceção da massa salarial, que cresceu 0,3%, todos indicadores desaceleraram na passagem de fevereiro para março: faturamento (-7,5%), compras industriais (-6,7%), utilização da capacidade instalada (-2,4%) e as horas trabalhadas na produção (-1,4%). Ao comparar março com o mesmo mês do ano passado, o IDI-RS também apresentou queda (-1,7%).

Esses resultados colocaram o desempenho da indústria gaúcha a uma taxa negativa de 0,4% no primeiro trimestre de 2014. O movimento de contração foi liderado pelos setores de Metalurgia (-16,4%), Veículos Automotores (-3,1%) e Móveis (-2,5%). Químicos e Refino de Petróleo (0,1%) e Couros e Calçados (0,1%) apresentaram estagnação. Os crescimentos mais importantes vieram de Alimentos (6,4%), Borracha e Plásticos (4,8%) e Tabaco (4,5%).