AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

Cooperação internacional é estratégia para Alemanha

Inovação

O governo da Alemanha estabeleceu a pesquisa e inovação, alta tecnologia, educação e treinamento vocacional como prioridades e a cooperação internacional é uma das formas de chegar a estes objetivos. A afirmação foi feita pelo representante do Ministério de Educação e Pesquisa da Alemanha, Matthias Frattini, no Fórum de Inovação, na manhã desta quarta-feira (7), dentro da Semana da Cooperação Brasil-Alemanha para a Inovação. Segundo ele, a estratégia envolve todos os ministérios e tem como meta transformar as pesquisas em produtos inovadores, reforçar a cooperação e melhorar as condições para aplicação dos resultados.

O presidente em exercício da FIERGS, Bolivar Moura, salientou que a inovação e a cooperação internacional "formam o binômio essencial para o processo de desenvolvimento sustentado". O industrial destacou que na visão da entidade, o período pós-globalização será de "Economia Planetária". Neste sentido, o evento está trabalhando áreas cruciais e que vem sendo alvo de parcerias: biotecnologia, tecnologia da informação e tecnologia de produção.

O secretário de Ciência e Tecnologia do Estado, Artur Lorentz, anunciou que o governo estadual está preparando incentivos fiscais para inovação. Ele disse que o modelo deverá ser parecido com o Fundopem e que deve estar concluído nas próximas semanas. Também lembrou que os Parques Tecnológicos e Incubadoras vem sendo fomentados. "Estamos conseguindo isso, graças a Lei da Inovação, aprovada este ano", destacou.

A Semana da Cooperação Brasil-Alemanha para a Inovação será encerrada nesta quinta-feira, com a realização de três oficinas temáticas: Tecnologia de Informação e Comunicação, na Ufrgs − Campus Central; de Biotecnologia, na Faculdade Senai de Tecnologia; e de Tecnologias de produção, no Centro Tecnológico Senai de Mecatrônica, em Caxias do Sul.

O evento é promovido pelo Sistema FIERGS, por meio do Senai, do IEL e do Centro Internacional de Negócios, em conjunto com o governo da Alemanha, Academia Fraunhofer, IEL Nacional, Ufrgs, com apoio do Sebrae, ABDI e Comunidade Europeia.