Você está aqui

Crescendo com Arte apresenta Pé de Pilão

O projeto Sesi Crescendo com Arte apresenta a peça Pé de Pilão, dia 7 de julho, no Teatro do Sesi. O espetáculo ocorre às 10h30min e às 15h. Com texto de Mario Quintana e direção de Mário Ballenti, a peça tem um cenário simples e vistoso, baseado na técnica patchwork. Atores e bonecos alternam-se na cantoria e na narração, unindo a fantasia do teatro de bonecos com a magia do teatro infantil. Os cinco atores-músicos contam e cantam a história do menino que virou pato e de sua avó enfeitiçada que perde o encanto, o de nunca envelhecer. O pato, na tentativa de reencontrar sua avó, enviando-lhe uma foto, é preso pelo cavalo-polícia, junto com o macaco retratista e o passarinho da máquina fotográfica. Uma aventura que envolve cobra, fada enfeitiçada, Nossa senhora, meninas traquinas, professor Dom Galaor, e muitos feitiços até reencontrar a sua avó enfeitiçada.

O projeto Sesi Crescendo com Arte foi criado em 1997. Desenvolve ações educativas gratuitas, dirigidas a um público com idade entre 7 e 14 anos. Desde então, deu oportunidade para crianças e adolescentes de entrar em contato com diversos espetáculos artísticos, favorecendo o desenvolvimento sociocultural, despertando o interesse pela arte e contribuindo para a formação de uma platéia participativa e crítica.

Uma vez por mês, um espetáculo é oferecido gratuitamente em Porto Alegre. São cerca de 650 escolas cadastradas, sendo que até hoje cerca de 100 mil estudantes participaram.

As escolas interessadas em se cadastrar devem ligar para 0800 51 85 55.

Veja mais

FIERGS 1/12/2016 às 18h39
O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Rio Grande do Sul, Heitor José Müller, anunciou, nesta quinta-feira, o nome do sucessor para a...
Saiba mais
FIERGS 1/12/2016 às 18h21
As perspectivas do comércio internacional a partir de acordos como a Parceria Transpacífico (TPP), negociado entre Estados Unidos e 11 países do Pacífico...
Saiba mais
FIERGS 30/11/2016 às 18h53
“A redução na taxa de juros já era esperada. Entretanto, acreditamos que essa queda poderia ter sido maior.
Saiba mais