Você está aqui

Empregos desaceleram crescimento da indústria gaúcha

Indicador da FIERGS aponta que o desempenho industrial não é maior devido ao mercado de trabalho

O Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), medido pela FIERGS, está sendo afetado pelo mercado de trabalho. Enquanto as vendas e as compras cresceram em setembro, 21,5% e 12,1% respectivamente, o emprego atingiu apenas 1,8% e fechou negativo em alguns setores que mais contratam. A pesquisa foi divulgada nesta terça-feira (6) pelo presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, Paulo Tigre. Segundo ele, a atividade industrial gaúcha, que aumentou 8,8% em setembro, comparada ao mesmo período de 2006, poderia ser maior.

"A queda do emprego nos setores com alta empregabilidade é um sinal de alerta para que não se tomem medidas que venham a comprometer a dinâmica da economia privada. Temos que valorizar, preservar e incrementar o emprego no Rio Grande do Sul, pois este é o caminho do desenvolvimento", afirma Tigre, destacando que o setor calçadista apresentou uma perda de 10,9% no número de vagas em setembro.

No acumulado do ano, de janeiro a setembro, o pessoal ocupado teve uma elevação de apenas 1,2%. Os resultados negativos ficaram com Couros (- 5,7%), Calçados (-4,3%) e Móveis (-3%) Os setores que mais abriram vagas em 2007 foram Máquinas e Equipamentos (9,9%), Veículos Automotores (5,7%) e Produtos de Metal (3,9%). "O emprego aumentou pouco e não recupera o enorme contingente de trabalhadores demitidos em 2006, quando o índice de contratação ficou 5,6% negativo", lamenta.

O bom desempenho do IDI no ano está vinculado diretamente às variáveis associadas à produção: vendas (11,4%), compras (8,9%) e utilização da capacidade instalada (3,2%). Este crescimento impulsionou a atividade do setor fabril em 2007 para 5,8%, contra o valor negativo de 11,1% no ano passado. No entanto, para alcançar o mesmo nível de 2004, precisaria ter atingido 19%.

Os setores que mais contribuíram para a expansão foram Máquinas e Equipamentos (20,6%), Veículos Automotores (14,4%), Produtos de Metal (8,1%), Vestuário (12,6%) e Alimentos e Bebidas (4,8%). Apresentaram resultados negativos Material Eletrônico (-7,7%) e Edição e Impressão (-8,6%).

O Índice de Difusão de Vendas chegou a 70% de janeiro a setembro. "Este indicador mostra que sete em cada 10 empresas estão aumentando suas vendas no ano, descontada a inflação, e indica que a grande maioria das empresas está aproveitando a conjuntura positiva de 2007 e que os resultados estão ocorrendo de forma disseminada entre elas", explica Tigre.

O IDI/RS é um indicador que expressa o nível de atividade da indústria de transformação gaúcha na forma de produção, empregos e geração de renda. É uma média ponderada das Vendas, Compras, Horas Trabalhadas, Pessoal, Remuneração e Utilização da Capacidade Instalada das indústrias participantes da amostra.

Veja mais

FIERGS 5/12/2016 às 17h02
Qualificar as exportações de carnes do Rio Grande do Sul e agilizar os processos de Comércio Exterior são ações constantes nas atividades dos conselhos...
Saiba mais
FIERGS 1/12/2016 às 18h39
O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Rio Grande do Sul, Heitor José Müller, anunciou, nesta quinta-feira, o nome do sucessor para a...
Saiba mais
FIERGS 1/12/2016 às 18h21
As perspectivas do comércio internacional a partir de acordos como a Parceria Transpacífico (TPP), negociado entre Estados Unidos e 11 países do Pacífico...
Saiba mais