Você está aqui

Economia

Exportações industriais do Estado recuam 29,9%

A forte participação de produtos manufaturados na pauta de exportações gaúchas vem colocando o Estado entre os mais afetados do País pela retração da demanda externa dos Estados Unidos e da Europa. Este cenário ficou ainda mais acirrado em maio, quando os embarques da indústria retraíram 29,9%, em relação ao mesmo mês do ano passado, e somaram US$ 935 milhões. "Além da queda dos pedidos e dos preços, o setor tem enfrentado a valorização do real e o crescimento das barreiras comerciais", avaliou o presidente da FIERGS, Paulo Tigre. O Rio Grande do Sul permanece em terceiro lugar entre os exportadores brasileiros, com uma participação de 10,9% na pauta nacional.

As indústrias responderam por 71,8% das vendas externas do Estado em maio. Os setores que mais contribuem com a pauta exportadora tiveram perdas expressivas: Máquinas e Equipamentos (-48,4%), Alimentos e Bebidas (-40,3%), Couro e Calçados (-39%) e Química (-22,7%). Juntos, eles responderam por cerca de 50% das exportações industriais gaúchas. Ficaram positivos apenas Refino de Petróleo (80,5%) e Fumo (20,1%).

Entre os principais destinos dos produtos gaúchos, a China ultrapassou o mercado americano, com uma elevação de 6% nas suas compras, principalmente de óleo e grãos de soja e celulose, e ficou em primeiro lugar em maio, em relação ao mesmo mês de 2008. Na mesma base de comparação, a segunda posição foi ocupada pelos Estados Unidos, que comprou 36% a menos, com destaque para calçados e celulose. Já, a Argentina diminuiu seus pedidos em 39% e garantiu a terceira posição. Os produtos mais solicitados pelo país vizinho foram plásticos e óleo diesel. "O setor privado tem promovido sistematicamente reuniões bilateriais com os principais mercados internacionais do Rio Grande do Sul para tentar reverter as medidas protecionistas, como as que foram implantadas pela Argentina. Mas, as negociações avançaram pouco e estão se esgotando. Agora é necessário uma intervenção forte do governo federal", afirmou Tigre.

As importações industriais gaúchas também desaceleraram 29,9% em maio, ante mesmo mês de 2008. Os segmentos que compraram menos foram Química (-43,7%), Borracha e Plástico (-41,8%), Extrativa Mineral (-31,2%), Material de Transporte (-26,4%) e Máquinas e Equipamentos (-12,8%).

Acumulado do ano − Os embarques das indústrias do Estado caíram 26,8% nos cinco primeiros meses do ano, em comparação com igual período do ano passado. De janeiro a maio, as exportações do Rio Grande do Sul geraram US$ 4,8 bilhões, sendo 85,8% desse montante proveniente do setor industrial.

O segmento com maior perda foi Metalurgia Básica (-64,2%), que deixou de vender para a Argentina barras e ligas de ferro e aço. Material de Transporte e Couro e Calçados seguiram na mesma direção e desabaram -49,1% e - 39,6%, respectivamente. O primeiro sofreu mais com a diminuição dos pedidos do Chile, México e África do Sul de chassis e carrocerias de veículos. O segundo teve suas vendas reduzidas para os Estados Unidos e a União Europeia.

Veja mais

FIERGS 23/05/2016 às 17h26
 Com expectativa da visita de 200 importadores de 46 países, iniciou nesta segunda-feira (23) o 25º Salão Internacional do Couro e do Calçado (SICC), em...
Saiba mais
FIERGS 23/05/2016 às 16h26
A Ação Global 2016 recebeu 9,2 mil pessoas no último sábado (21), no Centro de Atividades do Sesi em Panambi, promovida pelo Sistema FIERGS, por meio do...
Saiba mais
FIERGS 19/05/2016 às 16h37
“Estamos passando uma etapa histórica no País, um período de transformações. Não só pelo processo de impeachment, mas porque a sociedade exige respostas...
Saiba mais