AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

Faturamento da indústria fecha negativo em maio

Economia

Índice de Desempenho Industrial foi divulgado pela FIERGS

Pela primeira vez em 18 meses o faturamento do setor industrial gaúcho fechou negativo, na comparação do mês com mesmo período do ano anterior. Em maio, a queda foi de 5,8%, segundo números divulgados pela FIERGS, nesta quarta-feira (2). "Apesar do resultado ter sido influenciado pelo menor número de dias do calendário, o que mais impactou foi a valorização cambial, que chegou a 16%, além do patamar já elevado de produção verificado no ano passado", afirmou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, Paulo Tigre, ao divulgar o Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS).

Já no acumulado do ano, foi o mercado de trabalho que ditou a dinâmica da atividade industrial. A elevação de 4,3% do número de empregos, aliado aos reajustes de salário médio em 7% acima da inflação, fizeram com que a massa de salários ficasse em 11,7%, maior que o mesmo valor dos primeiros cinco meses de 2007. "Há dois aspectos importantes nesse cenário. Em primeiro lugar, que as regiões onde a indústria se faz presente sintam mais a circulação de riqueza, com resultados positivos sobre o comércio nos próximos meses. Porém, é importante que essa alta de custos de produção seja compensado com um maior nível de produtividade nas empresas, para que as mesmas consigam competir", afirmou Tigre. O industrial destacou ainda que o crescimento do emprego ocorreu de forma generalizada na indústria gaúcha, conforme demonstrou o índice de difusão, que indicou que 70% das empresas elevaram seu quadro de empregados nos primeiros cinco meses do ano.

Em termos setoriais, as principais contribuições para o desempenho do IDI-RS, no acumulado do ano, vieram de Máquinas e Equipamentos (28,8%), Veículos Automotores (17%) e Alimentos (12,4%) Já os resultados negativos foram em Couros (-4,3%) e Bebidas (-7,2%). A utilização da capacidade instalada foi 86,6%, a maior da série histórica, que iniciou em 1992. Os segmentos que bateram recorde foram Alimentos (90,2%), Máquinas e Equipamentos (90,1%) e Veículos Automotores (87,7%).

Exportadores − As indústrias cujas exportações respondem por mais de 22% do seu faturamento contribuíram para os resultados negativos do mês de maio. As vendas dessas caíram -11,8%, relativamente ao mesmo mês de 2007, enquanto que na média da indústria em geral, esse resultado foi de -5,8%. Apesar disso, os empregos e a massa de salários (5,8%) cresceram, respectivamente 2,7% e 5,8%, na mesma base de comparação, mesmo descontando os efeitos inflacionários.