Você está aqui

Faturamento da indústria fecha negativo em maio

Índice de Desempenho Industrial foi divulgado pela FIERGS

Pela primeira vez em 18 meses o faturamento do setor industrial gaúcho fechou negativo, na comparação do mês com mesmo período do ano anterior. Em maio, a queda foi de 5,8%, segundo números divulgados pela FIERGS, nesta quarta-feira (2). "Apesar do resultado ter sido influenciado pelo menor número de dias do calendário, o que mais impactou foi a valorização cambial, que chegou a 16%, além do patamar já elevado de produção verificado no ano passado", afirmou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, Paulo Tigre, ao divulgar o Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS).

Já no acumulado do ano, foi o mercado de trabalho que ditou a dinâmica da atividade industrial. A elevação de 4,3% do número de empregos, aliado aos reajustes de salário médio em 7% acima da inflação, fizeram com que a massa de salários ficasse em 11,7%, maior que o mesmo valor dos primeiros cinco meses de 2007. "Há dois aspectos importantes nesse cenário. Em primeiro lugar, que as regiões onde a indústria se faz presente sintam mais a circulação de riqueza, com resultados positivos sobre o comércio nos próximos meses. Porém, é importante que essa alta de custos de produção seja compensado com um maior nível de produtividade nas empresas, para que as mesmas consigam competir", afirmou Tigre. O industrial destacou ainda que o crescimento do emprego ocorreu de forma generalizada na indústria gaúcha, conforme demonstrou o índice de difusão, que indicou que 70% das empresas elevaram seu quadro de empregados nos primeiros cinco meses do ano.

Em termos setoriais, as principais contribuições para o desempenho do IDI-RS, no acumulado do ano, vieram de Máquinas e Equipamentos (28,8%), Veículos Automotores (17%) e Alimentos (12,4%) Já os resultados negativos foram em Couros (-4,3%) e Bebidas (-7,2%). A utilização da capacidade instalada foi 86,6%, a maior da série histórica, que iniciou em 1992. Os segmentos que bateram recorde foram Alimentos (90,2%), Máquinas e Equipamentos (90,1%) e Veículos Automotores (87,7%).

Exportadores − As indústrias cujas exportações respondem por mais de 22% do seu faturamento contribuíram para os resultados negativos do mês de maio. As vendas dessas caíram -11,8%, relativamente ao mesmo mês de 2007, enquanto que na média da indústria em geral, esse resultado foi de -5,8%. Apesar disso, os empregos e a massa de salários (5,8%) cresceram, respectivamente 2,7% e 5,8%, na mesma base de comparação, mesmo descontando os efeitos inflacionários.

Veja mais

FIERGS 25/07/2016 às 15h15
 O cenário de crise econômica no Brasil, que torna o crédito mais caro e restrito e, consequentemente, cria grandes entraves para a obtenção de capital...
Saiba mais
FIERGS 22/07/2016 às 12h59
 O Serviço Social da Indústria (Sesi) é a instituição mais lembrada no Brasil quando o assunto é saúde e segurança do trabalho.
Saiba mais
FIERGS 22/07/2016 às 12h52
O Senai-RS conquistou ouro (Tecnologia de Midia Impressa – Murilo Antunes da Silva, na foto), prata (Eletricidade Industrial – Gabriel Mendes) e bronze (...
Saiba mais