Você está aqui

FIERGS avalia prejuízos ao crescimento da indústria com aumento de juros

"O aumento da Selic neste momento em que o PIB da indústria sofreu queda de 0,3% no primeiro trimestre do ano diminui ainda mais as expectativas de retomada de crescimento. Sabemos que sem estabilidade econômica e inflação controlada não há possibilidade de qualquer planejamento e expansão de longo prazo. Porém, o caminho de combate à inflação deve vir primeiro pela redução dos gastos públicos, do endividamento do governo e da carga tributária", afirmou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Heitor José Müller, nesta quarta-feira (29), ao avaliar a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que elevou a Selic em 0,50 ponto percentual, passando de 7,50% para 8% ao ano.

O presidente da FIERGS destacou ainda que no ano passado a indústria de transformação brasileira apresentou a menor participação no PIB: 11,9%. "No Rio Grande do Sul, 2012 encerrou com o desempenho industrial repetindo 2011: apenas 0,3% de avanço, completando mais um período desfavorável ao setor fabril gaúcho", lembrou.

Veja mais

FIERGS 24/02/2017 às 18h02
A Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), por meio do Núcleo de Acesso ao Crédito (NAC), é parceira do Banco Nacional de Desenvolvimento...
Saiba mais
FIERGS 24/02/2017 às 11h00
Com o objetivo de alavancar parcerias, identificar novas oportunidades de negócios e investimentos, além de trabalho em pesquisa e desenvolvimento com...
Saiba mais
FIERGS 23/02/2017 às 15h45
A queda na taxa de inflação, a redução nos juros, a disposição do governo federal em melhorar o quadro fiscal e levar adiante as reformas estruturais são...
Saiba mais