Você está aqui

Economia

FIERGS projeta avanço da economia para o Estado e o País em 2013

Enquanto o Produto Interno Bruto (PIB) gaúcho deve encerrar 2012 negativo e o brasileiro com a segunda menor taxa de crescimento em 13 anos, as projeções para as economias do Estado e do Brasil em 2013 são positivas. Esses cenários e as repercussões foram avaliados pelo presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, Heitor José Müller, nesta segunda-feira (10), durante a apresentação do Balanço 2012 e Perspectivas 2013 da Economia, na FIERGS. "Temos algumas sinalizações bastante favoráveis, como a manutenção da taxa básica de juros, as reservas cambiais do País, a incorporação da competitividade no discurso do governo federal, a renovação do Programa de Sustentação do Investimento (PSI) e o fim da guerra dos portos a partir de janeiro de 2013", enumerou Müller, como fatores que projetam um crescimento maior para o País no próximo ano.

Além disso, a unificação das alíquotas interestaduais de ICMS, a esperada redução do custo de energia e as concessões para o setor privado na área de infraestrutura, em especial para o transporte de cargas, foram apontadas pelo presidente da FIERGS como outros motivos para se esperar um resultado melhor em 2013.

Para o ano que vem, são traçados três cenários. Em todos eles, a expansão estimada para o PIB do País será maior do que o observado em 2012. No quadro mais provável (PIB de 3,3%), espera-se que o avanço mundial seja moderado e puxado pelos emergentes e que a economia brasileira se expanda levemente acima da média recente. É provável que a inflação permaneça acima do centro da meta, entretanto, não haverá movimentos de alta nos juros até o final do ano. Conta-se igualmente com a hipótese de que a taxa de câmbio se mantenha no atual patamar.

A China faz protecionismo econômico através do câmbio, isso a OMC permite, mas se o governo brasileiro cria algumas salvaguardas, somos chamados de protecionistas, comentou Müller.

De acordo com o presidente da FIERGS, nos últimos anos os acontecimentos da economia internacional e seus impactos no Brasil estiveram no centro das atenções.

Entretanto, o que se observou durante 2012 e os desafios que se impõem para 2013 estão relacionados, principalmente, a questões de economia interna. A baixa produtividade, a incapacidade de destravar a realização dos investimentos, bem como de tornar efetivas as políticas de estímulo ao setor produtivo são questões da microeconomia brasileira que têm pesado mais para o baixo crescimento do que os fatos na economia mundial, comentou Müller, durante a entrevista coletiva.

Segundo dados da Unidade de Estudos Econômicos da FIERGS, fatores internos e externos determinaram esta recessão no Rio Grande do Sul em 2012. Internamente, a queda em 8 milhões de toneladas na produção de grãos na safra 2011/2012 provocada pela estiagem foi a principal causa. Externamente, se destacaram as crises do mercado em outros países e as variações da taxa de câmbio, que contribuíram decisivamente para que a economia a indústria gaúcha passasse o ano no vermelho.

A economia do Rio Grande do Sul, porém, depois do resultado bastante abaixo do esperado em 2012, deve ter um avanço forte no próximo ano, com um PIB estimado em 5,1%. A simples normalização da situação na agricultura, após a estiagem, será suficiente para determinar essa tendência em 2013. Contudo, espera-se igualmente que os demais setores contribuam para um resultado favorável. O Estado crescerá acima do Brasil também devido à base estatística de comparação bastante baixa. A previsão para o PIB da agropecuária é de 28% e o da indústria e dos serviços, de 2,7%.

Veja mais

FIERGS 25/05/2016 às 17h02
Nesta quarta-feira (25), data em que se comemora o Dia Nacional da Indústria, o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS),...
Saiba mais
FIERGS 23/05/2016 às 17h26
 Com expectativa da visita de 200 importadores de 46 países, iniciou nesta segunda-feira (23) o 25º Salão Internacional do Couro e do Calçado (SICC), em...
Saiba mais
FIERGS 23/05/2016 às 16h26
A Ação Global 2016 recebeu 9,2 mil pessoas no último sábado (21), no Centro de Atividades do Sesi em Panambi, promovida pelo Sistema FIERGS, por meio do...
Saiba mais