AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | TEL.: 51-3347.8787

Você está aqui

Industriais apontam principais problemas enfrentados no primeiro trimestre

Economia

Com respostas de múltipla escolha, os principais problemas enfrentados pela indústria gaúcha no primeiro trimestre de 2014 foram a elevada carga tributária (57,5% das respostas), a competição acirrada de mercado (39,7%) e, empatados, a falta de demanda e de trabalhadores qualificados (ambos com 33,6%). O resultado da Sondagem Industrial da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) foi divulgado, nesta quarta-feira (30).

Nos três primeiros meses do ano, o acesso ao crédito teve uma avaliação negativa (40,8 pontos). Esse indicador registrou queda de 3,2 pontos na comparação com o último trimestre de 2013. Já a margem de lucro operacional recuou pela segunda vez consecutiva e fechou com 42,3 pontos. A situação financeira das empresas também ficou abaixo do esperado (48,2 pontos). O levantamento varia numa escala de 0 a 100 pontos. Valores a partir de 50 pontos significam maior satisfação e abaixo, insatisfação. Apenas as variáveis de estoques em comparação ao planejado e de Utilização da Capacidade Instalada (UCI) acima do usual são avaliadas como negativas depois dos 50 pontos.

Quando apenas março é analisado, o volume de produção registrou o valor mais baixo para o mês em cinco anos (52,2 pontos), cuja média ficou em 58,8. A UCI esteve bem inferior ao usual (44,6 pontos) pela 11ª vez, enquanto os estoques de produtos finais continuaram crescendo acima do planejado pelas indústrias (52,1 pontos).

Para os próximos seis meses, as perspectivas de demanda permanecem positivas (54,3 pontos), contudo é o menor otimismo em cinco anos. Já a geração de emprego (50,8 pontos) deverá desacelerar.