Você está aqui

Lançada no RS rede que identifica raios e tempestades

O Rio Grande do Sul já conta com uma importante ferramenta para evitar surpresas climáticas. Foi lançada na segunda-feira (12), na sede da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), a Rede Brasileira de Detecção de Descargas Atmosféricas, a BrasilDAT, desenvolvida pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais ( Elat/Inpe). Sensores foram instalados em seis cidades gaúchas (Casca, Rio Grande, Santa Maria, Santa Rosa, Viamão e Uruguaiana), detectando 95% dos raios no Estado e em países vizinhos. No Brasil, a rede opera com 55 sensores, localizados em diferentes regiões.

"Muitas vezes somos surpreendidos com as incertezas do tempo e as descargas elétricas. A FIERGS se tornou parceira na divulgação desta ferramenta, que é uma importante aliada na tomada de decisões e medidas para evitar os prejuízos causados por raios e tempestades, não só para a indústria como para a sociedade gaúcha", afirmou o coordenador do Conselho de Meio Ambiente da FIERGS, Torvaldo Marzolla Filho, na abertura do evento.

"O sistema identifica descargas atmosféricas nas nuvens e vai beneficiar o sistema de monitoramento responsável por emitir alertas sobre a proximidade de tempestades severas, chuvas fortes, ventos, granizos e tornados, além de raios que atingem o solo", explicou o diretor da Rede BrasilDAT, Osmar Pinto Júnior. "No Rio Grande do Sul, há evidências do aumento de tempestades severas. Os problemas climáticos estão ficando mais complexos e precisamos unir forças e trabalho de pesquisa cada vez mais especializado", finalizou.

Veja mais

FIERGS 1/12/2016 às 18h39
O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Rio Grande do Sul, Heitor José Müller, anunciou, nesta quinta-feira, o nome do sucessor para a...
Saiba mais
FIERGS 1/12/2016 às 18h21
As perspectivas do comércio internacional a partir de acordos como a Parceria Transpacífico (TPP), negociado entre Estados Unidos e 11 países do Pacífico...
Saiba mais
FIERGS 30/11/2016 às 18h53
“A redução na taxa de juros já era esperada. Entretanto, acreditamos que essa queda poderia ter sido maior.
Saiba mais