AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

Missão da FIERGS inicia participação na feira de Hannover

Feira

A agenda da missão brasileira à feira de Hannover, liderada pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), iniciou na manhã desta segunda-feira (23), com a abertura daquele que é considerado o principal evento de tecnologia industrial do mundo. “Liderar a missão a Hannover significa promover a competitividade da indústria gaúcha e a geração de negócios entre as empresas por meio da oferta de um programa completo de visitas e prospecção ao que se tem de melhor e de mais avançado no mundo em termos produtivos”, declara o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry. Ele lembra que, neste ano, o destaque será para as áreas de automação industrial, fábrica digital, energia, partes e peças, além de pesquisa e desenvolvimento. “A feira apresentará também a evolução e a consolidação da Indústria 4.0, que se tornará cada vez mais uma realidade nas nossas fábricas", completa.

O grupo brasileiro é formado por 82 representantes, de 44 empresas, incluindo 24 gaúchas, e de 11 entidades representativas, de dez estados. Entre elas estão companhias com tradicional participação em feiras internacionais, como Weco, Máquinas Condor, Novus e TMSA. Doze micro e pequenas empresas selecionadas pelo edital do Sebrae/RS também integram a missão, incluindo estreantes em Hannover, de setores como joias, energia, madeira e borracha. 

Entre os objetivos de grande parte das integrantes da missão da FIERGS está o de ver de perto o que o mercado mundial está fazendo em relação às tecnologias e indústria 4.0. A AGST Controles e Automação, de Porto Alegre, tem como plano principal entender a tecnologia mundial e ver de que forma ela pode contribuir para nossa realidade. “A partir daí, buscaremos opções de fornecedores que possam auxiliar em nossos produtos”, destaca o diretor-administrativo, Christian da Fonseca Garcia. O maior interesse está em desenvolvedores de aplicativos e fornecedores de sensores. 

Especializada em produtos para supervisão e controle da energia elétrica, a IMS Power Quality, de Porto Alegre, tem interesse em questões envolvendo a indústria 4.0 aplicada à sua área de atuação. “Estamos aqui atrás de conhecimento para verificar qual direção devemos seguir em relação à indústria 4.0, pois verificamos necessidade de dar mais robustez para nossa empresa nesse sentido”, declara a diretora da empresa, Débora Presotto. A HWSul, de Farroupilha, é prestadora de serviços em eletricidade e automação industrial e está em sua primeira feira internacional com a ideia de ver de perto as novidades em tecnologia que possam atender às demandas de seus clientes. “A forma como a missão é estruturada possibilita que tenhamos uma vivência intensa, para obter os melhores resultados da viagem”, avalia o sócio-proprietário da HWSul, Helisson Teles.  

Os representantes da fabricante de cadeiras profissionais de Erechim, a Cavaletti visitam a feira na procura por conhecimento que agreguem ainda mais competitividade à companhia. “Queremos cultivar esse mercado na região norte do Estado, verificar aquilo é que aplicável por aqui”, declara o diretor-presidente, Mario Luiz Cavaletti. Há três anos no mercado, a Doled, incubada na Universidade Regional do Noroeste do RS (Unijui), vai atrás de conhecimento de mercado. “Está no nosso plano de negócios iniciar as exportações de alguns produtos. A participação na feira veio no momento adequado”, comenta o sócio-proprietário, João Fernando Weber. Além de conhecer as tendências internacionais em tecnologia, a fabricante de joias Zortéa, de Guaporé, está em Hannover para fechar negócios. “Estamos em busca de questões bem específicas, como fornecedores de produtos para galvânica ,retificadores e tecnológicas para tratamento de superfície”, informa o proprietário da companhia, Nilso Carlos Zortéa. 

Já para a DLR Automação, de Caxias do Sul, a meta é procurar parcerias comerciais e conhecer de perto as tendências mundiais na área da indústria 4.0. “Já atuamos fortemente em segmentos como projetos de adequação à NR-12 e outras normas de segurança no trabalho, agora, trabalhamos para diversificar nossa linha de produtos”, relata o diretor da empresa, Rodrigo Dalongaro. 

Especializada em vendas, compras e desenvolvimento de fornecedores em produtos e serviços, e sistemas de gestão da qualidade e produção, a Giaco Business Company (GBC), de Caxias do Sul, está na Alemanha para se inspirar no que as empresas do mundo estão fazendo, especialmente, em relação à indústria 4.0. “Absorver experiências de outros mercados vai contribuir para qualificarmos nossos produtos e serviços”, opina o diretor Luiz Carlos Giacommeli. A Gomasul Borrachas, de Bento Gonçalves, ainda não exporta, mas fornece itens para clientes que comercializam suas máquinas fora do Brasil. “Nossa ideia é conhecer as novidades que a indústria mundial oferece na nossa área, que possa ser aplicada à nossa realidade. Se possível, daremos início a relações comerciais de importação e exportação”, prevê o diretor da empresa Gilson Rigo. 

A Matusa Madeiras, de Terra de Areia, tem a madeira de pinus como matéria-prima. “Estamos em Hannover na busca por algo inovador, queremos desbravar nossas barreiras em um cenário competitivo como o da Alemanha”, afirma o diretor da empresa, Matusalem Fagundes. A expectativa é encontrar o conhecimento avançado de tecnologias inovadoras, que, no curto prazo, possam integrar as indústrias da sua região. A TDS Sistemas de Informação, de Bento Gonçalves, oferece sistemas de gestão para indústria e está na feira com o foco de entender quais as movimentações estão sendo feitas na Alemanha, em relação à operação das indústrias dentro de um sistema 4.0. “Queremos analisar as aplicabilidades da indústria 4.0, além do que temos aqui, onde podemos chegar”, projeta o diretor comercial e de produtos da empresa, Fernando Toneser. A feira de Hannover ocorre até o dia 27 de abril.


Crédito foto: Enir Grigol