Você está aqui

Para FIERGS, não haverá recuperação da indústria em 2015

“Para a indústria, que já teve um ano muito ruim em 2014, a possibilidade de uma retomada ainda em 2015 se torna praticamente nula com os juros mais elevados. Entendemos que a busca do equilíbrio da economia, bem como o ajuste fiscal, é importante para aumentar a confiança dos empresários e consumidores. No entanto, esse processo requer um efetivo controle dos gastos, e não um aumento de impostos que gera um ônus adicional para o setor fabril”, afirmou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Heitor José Müller, nesta quarta-feira (4), ao avaliar a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, de aumentar a Selic em 0,50 ponto percentual, totalizando 12,75% ao ano.


O presidente da FIERGS destacou ainda que “a nova elevação da taxa Selic representa mais uma importante pressão sobre os custos do segmento produtivo”. Lembrou também que a produção industrial brasileira encerrou 2014 com uma queda acumulada de 3,2%.

Tags: 

Veja mais

FIERGS 24/02/2017 às 18h02
A Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), por meio do Núcleo de Acesso ao Crédito (NAC), é parceira do Banco Nacional de Desenvolvimento...
Saiba mais
FIERGS 24/02/2017 às 11h00
Com o objetivo de alavancar parcerias, identificar novas oportunidades de negócios e investimentos, além de trabalho em pesquisa e desenvolvimento com...
Saiba mais
FIERGS 23/02/2017 às 15h45
A queda na taxa de inflação, a redução nos juros, a disposição do governo federal em melhorar o quadro fiscal e levar adiante as reformas estruturais são...
Saiba mais