Você está aqui

Para FIERGS, restrição do crédito já tem efeito de aumento na taxa de juros

Mesmo mantendo a Selic em 13,75%, a indústria sofre

"O recente aperto do crédito tem o efeito semelhante ao aumento da taxa de juros sobre a economia. Agora, mais do que nunca, o governo precisa entender que a redução dos gastos públicos é o caminho mais indicado para o controle da inflação", afirmou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Paulo Tigre, ao avaliar a decisão do Comitê de Política Monetária. O Copom manteve, nesta quarta-feira (29), a taxa básica de juros, a Selic, em 13,75%.

Para o presidente da FIERGS, apesar de positiva a medida do Banco Central de não aumentar a Selic, os juros continuam muito altos e interferindo na competitividade do setor produtivo. Conforme Tigre, o cenário poderá ser agravado com os desdobramentos da crise mundial financeira, principalmente a partir de 2009.

A próxima reunião do Copom está marcada para os dias 9 e 10 de dezembro.

Veja mais

FIERGS 18/01/2017 às 14h58
O Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) voltou a crescer em novembro de 2016, na comparação com o mês anterior, feito o ajuste sazonal.
Saiba mais
FIERGS 16/01/2017 às 16h21
A produção industrial gaúcha surpreendeu no mês de novembro, e com 51,1 pontos cresceu em relação a outubro, contrariando a sazonalidade negativa do...
Saiba mais
FIERGS 12/01/2017 às 15h22
O ano de 2016 fechou com as exportações em queda no Rio Grande do Sul. Ao somarem um total de US$ 16,6 bilhões no acumulado dos 12 meses, caíram 5,4% em...
Saiba mais