Você está aqui

Para ser sustentável, uma sociedade precisa ser totalizante

O filósofo e educador Bernardo Toro afirmou que para ser sustentável, uma sociedade precisa ser totalizante, isto é, para todos. Ao encerrar o Congresso Internacional de Responsabilidade Social Empresarial, o colombiano destacou que a educação pode ser um mecanismo de transformação social. "É necessário uma educação pública forte, onde os filhos dos empregados frequentem a mesma escola dos filhos dos patrões", salientou. Ele acredita que seja necessária uma integração entre Estado, empresas e sociedade civil. "A sociedade civil tem poder de legitimar o Estado e as empresas", lembrou. O Congresso Internacional de Responsabilidade Social Empresarial é promovido pelo Sistema FIERGS, por meio do Sesi-RS e Centro Internacional de Negócios (CIN-RS) no âmbito do Programa Al-Invest IV, em parceira com a Fundação Gaúcha dos Bancos Sociais.

Toro enfatizou que o primeiro passo para superar a pobreza é a organização. "A organização converte os indivíduos em atores sociais para proteger, consertar e fazer converger interesses", disse ele. Quanto maior o número de transações e contratos dos atores sociais, mais forte é o tecido social que forma a sociedade. "Uma sociedade sã e sustentável acontece quando os diferentes espaços buscam um projeto ético (social de direito, dignidade humana e ética de cuidados", ressaltou. "Juntos, Estado, empresas e a sociedade civil organizada acabam assim tendo condições de combater a pobreza extrema e de procurar reduzir as desigualdades. Afinal, a igualdade não é possível, mas a eqüidade é. E isso depende de nós", finalizou Toro.

Pela manhã, o professor da PUC-SP e economista, Ladislau Dowbor, disse que a mudança a ser feita é de governança, não só política, mas também econômica e social. "E neste contexto há inúmeras tecnologias sociais disponíveis que ajudariam muito a reduzir os grandes problemas do planeta". Dowbor afirmou ainda que há inúmeras soluções de cientistas on line e acessíveis gratuitamente. "O conhecimento não tira nada de ninguém, e todos ganham", disse ele que defende o wi-fi urbano gratuito, generalizando o acesso ao conhecimento. "A população mundial cresce um país por ano. Precisamos aprender a consumir de forma sustentável", lembrou. O aquecimento global, a concentração de CO² , o aumento do consumo de petróleo e de veículos motorizados, o uso da água, a perda de florestas, são temas que preocupam a humanidade. Ele diz que as novas tecnologias e opções de políticas adequadas devem permitir o uso de recursos naturais de forma sustentável e que o grande desafio está na redução da desigualdade. O professor lembrou que as novas tecnologias e opções de políticas adequadas devem permitir o uso de recursos naturais de forma sustentável e que o grande desafio está na redução da desigualdade. "Não podemos nos civilizar permanecendo neste grupo dos dez países mais desiguais do planeta. É eticamente errado, economicamente burro, e politicamente insustentável", acredita.

Veja mais

FIERGS 24/08/2016 às 15h43
 Embora tenham apresentado queda na relação com o mês anterior, os índices de produção (47,5 pontos) e o de número de empregados (46,3), revelam que a...
Saiba mais
FIERGS 19/08/2016 às 15h16
O Serviço Social da Indústria promove de 23 a 25 de agosto, no Centro de Atividades (R. 24 de Outubro, 180) de Erechim, o Sesi com Ciênci@, com o Museu...
Saiba mais
FIERGS 19/08/2016 às 15h09
O Serviço Social da Indústria (Sesi-RS) promove no próximo dia 30 de agosto, a partir das 18h, o Meeting Sesi com o tema E-social: Interfaces do Riscos e...
Saiba mais