Você está aqui

Parque industrial gaúcho pode ser o segundo maior fornecedor da Petrobras

Uma comitiva de industriais gaúchos se reuniu com o presidente da Petrobras, Jose Sergio Gabrielli de Azevedo, na tarde de quarta-feira (28), na sede da empresa, no Rio de Janeiro. Na pauta da reunião, os investimentos da companhia petrolífera em solo gaúcho e a inserção do parque industrial do Rio Grande do Sul neste novo ciclo econômico na área de petróleo e gás natural. De acordo com o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Paulo Tigre, a meta é atender mais de 10% da demanda da companhia em cinco anos, percentual que hoje não passa de 1,2%. Um resultado que poderá colocar o Estado como o segundo maior fornecedor brasileiro.

"Estamos trabalhando com visão de futuro e planejamento estratégico para ocuparmos o espaço que corresponde à importância da nossa indústria no cenário nacional e internacional", afirmou Tigre, que liderou a comitiva. Para o presidente da Petrobras Biocombustível, Miguel Rosseto, que participou do encontro, "o movimento da FIERGS é forte e cria condições para o Estado estar brevemente na segunda posição como fornecedor de equipamentos e serviços para a Petrobras". Também destacou que o Rio Grande do Sul não tem petróleo, "mas possui engenharia e conhecimento".

Entre os temas discutidos na reunião, estiveram o redirecionamento estratégico da indústria gaúcha através de contratos de longo prazo e termos de cooperação com a multinacional e a criação de uma sede regional permanente da Petrobras no Estado, para o desenvolvimento de fornecedores de equipamentos e sistemas, com foco na área tecnológica. "Buscamos o desenvolvimento da Nova Economia no Rio Grande do Sul, o que vai ao encontro da política da Petrobras, que busca aumentar a participação de conteúdo local na área de petróleo e gás natural", declarou Tigre.

O presidente da Petrobras anunciou que o próximo encontro anual do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp) será no Rio Grande do Sul, no final de 2010. "A FIERGS já está fazendo a gestão do processo e atua como interlocutora entre a companhia e as indústrias gaúchas", destacou o coordenador do Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás e Energia da FIERGS, Marcus Coester. Segundo ele, a petrolífera deverá investir US$ 240 bilhões até 2014. Na reunião também foram apresentadas as ações do Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás e Energia da FIERGS.

Participaram do encontro, além dos presidentes da Petrobras, Jose Sergio Gabrielli de Azevedo, da FIERGS, Paulo Tigre, e da Petrobras Biocombustível, Miguel Rosseto, os industriais Marcus Coester, Gilberto Petry, Antonio Roso, Oscar de Azevedo, Nelson Felizzola, e gerentes e técnicos da Petrobras.

Veja mais

FIERGS 28/07/2016 às 16h28
A Sondagem Industrial de junho, divulgada nesta quinta-feira (28) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), revela uma retração no...
Saiba mais
FIERGS 25/07/2016 às 15h15
 O cenário de crise econômica no Brasil, que torna o crédito mais caro e restrito e, consequentemente, cria grandes entraves para a obtenção de capital...
Saiba mais
FIERGS 22/07/2016 às 12h59
 O Serviço Social da Indústria (Sesi) é a instituição mais lembrada no Brasil quando o assunto é saúde e segurança do trabalho.
Saiba mais