Você está aqui

Queda da Selic poderia ser maior

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central reduziu nesta quarta-feira (18) a taxa básica de juros da economia, a Selic, em 0,25 ponto percentual, passando de 12,75% para 12,5%. A decisão não surpreendeu o mercado, já que o Banco Central tem sinalizado esse movimento desde a reunião de janeiro. O presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Paulo Tigre, afirma que novamente perdeu-se uma boa oportunidade de tornar a atividade produtiva mais viável. ''A manutenção das taxas de juros de curto prazo em patamares tão elevados reduz o potencial de crescimento do País'', destaca ele.

De acordo com Tigre, entre os fatores que favorecem uma redução da Selic acima de 0,25 p.p., estão a baixa inflação dos últimos 12 meses (IPCA de 2,96%) e a expectativa para 2007 de 3,81%. Além disso, a queda sistemática do Risco Brasil e a melhora na relação dívida-PIB potencializam o diferencial de juros, reforçando a tendência de valorização do real frente ao dólar.

A próxima reunião do Copom será nos dias 5 e 6 de junho de 2007.

Tags: 

Veja mais

FIERGS 24/02/2017 às 18h02
A Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), por meio do Núcleo de Acesso ao Crédito (NAC), é parceira do Banco Nacional de Desenvolvimento...
Saiba mais
FIERGS 24/02/2017 às 11h00
Com o objetivo de alavancar parcerias, identificar novas oportunidades de negócios e investimentos, além de trabalho em pesquisa e desenvolvimento com...
Saiba mais
FIERGS 23/02/2017 às 15h45
A queda na taxa de inflação, a redução nos juros, a disposição do governo federal em melhorar o quadro fiscal e levar adiante as reformas estruturais são...
Saiba mais