Você está aqui

Recua a confiança do industrial gaúcho em abril

O Índice de Confiança do Empresário Industrial do RS (ICEI-RS) de abril caiu 2,8 pontos na comparação com março, atingindo 49,1. O desempenho significou o retorno das quedas, que haviam sido interrompidas no mês anterior. "Essa visão negativa se alastra entre as empresas e deverá afetar suas decisões de investimento. O cenário, portanto, é bastante adverso, compatível com atividade industrial em estagnação ou até mesmo em queda nos próximos meses", salienta o presidente da FIERGS, Heitor José Müller. Elaborado mensalmente pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), o levantamento varia numa escala de 0 a 100 pontos. Quanto mais os valores estiverem acima de 50 denotam maior otimismo e quanto mais abaixo, pessimismo.

O indicador de Condições Atuais recuou 2,9 pontos e totalizou 43,0 em abril. O sentimento de piora predomina com maior intensidade em relação à economia brasileira (34,4 pontos), que não ultrapassa a linha dos 50 pontos desde fevereiro de 2011. Para 62,1% das indústrias, a situação piorou. Em março, esse percentual era 43,3%. A percepção para o cenário no Rio Grande do Sul não foi muito diferente: 37,4 pontos.

O componente de Expectativas do ICEI-RS para os próximos seis meses desacelerou 2,5 pontos e permaneceu no campo moderado (52,3 pontos), sustentado pelo otimismo com o futuro das empresas (57,2), pois continuam negativas as perspectivas para as economias brasileira (42,6) e gaúcha (42,9). A proporção de empresários pessimistas com o cenário econômico do País chegou a 40,4%. Apenas 14,4% estão confiantes. Os demais afirmaram que nada mudará nos próximos seis meses em relação às dificuldades já existentes.

Veja mais

FIERGS 7/12/2016 às 15h48
As indústrias precisam estar atentas às normas de rotulagens de alimentos.
Saiba mais
FIERGS 7/12/2016 às 14h33
O Torneio de Robótica First Lego League, organizado pelo Serviço Social da Indústria (Sesi-RS), terá a grande final neste sábado, a partir das 9h, na...
Saiba mais
FIERGS 6/12/2016 às 14h37
A atual capacidade ociosa nas linhas de produção, os baixos níveis de estoque e a força exportadora colocam o setor industrial em uma posição decisiva...
Saiba mais