Você está aqui

Tigre apresenta potencial brasileiro em assembleia internacional

A Assembleia Geral da Associação da Indústria Latino-Americana (Aila), realizada em Santo Domingo, República Dominicana, contou com a presença do presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) e do Conselho de Integração Internacional da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Paulo Tigre.

O industrial apresentou, na tarde de terça-feira (9), último dia do encontro, a palestra "Oportunidades Comerciais no Brasil para os Países do Centro e da América do Sul".

Embora a indústria tenha sido o setor mais afetado pela estagnação da economia no ano passado (o PIB industrial brasileiro teve uma queda de 4,5%), Tigre destacou diante de empresários latino-americanos, em Santo Domingo, que a força do mercado interno foi capaz de manter a reação do País frente à crise internacional. O dirigente mostra que não faltaram razões para se acreditar e se investir no Brasil. Segundo estimativas da CNI, para 2010 a previsão é de que o PIB nacional volte ao patamar anterior à crise, com crescimento de 5,5%, com expressiva reação do PIB industrial (7%). Segundo levantamento da Confederação Nacional da Indústria, 62% das empresas brasileiras pretendem ampliar suas compras de máquinas e equipamentos em 2010.

Paulo Tigre enumerou as oportunidades abertas ao investidor, no Brasil, nos próximos anos. Opções que surgem especialmente em decorrência das obras de infraestrutura, turismo e serviços para a Copa do Mundo, em 2014; e os Jogos Olímpicos, em 2016; ou na agricultura e na energia, pela expansão da oferta de etanol e biodiesel e pela extração de petróleo. Além disso, a melhoria do padrão da classe média brasileira provoca uma maior demanda para indústrias brasileiras.

A apresentação do industrial na Assembléia da Aila mostrou também a pujança do País, que atualmente se coloca como maior produtor de minério de ferro do mundo, maior produtor e exportador de café e de cana-de-açúcar, e o principal exportador de soja, frango, carne e couro, e o sétimo mercado consumidor mundial.

A abundância de recursos naturais também é um fator que coloca o Brasil como um dos principais países a se investir. Enquanto a porcentagem de energias renováveis na matriz energética do planeta alcança 14%, no País ela é de 45%. O País tem como base as hidrelétricas, com 85%, enquanto as termoelétricas são responsáveis por apenas 15%.

Veja mais

FIERGS 25/07/2016 às 15h15
 O cenário de crise econômica no Brasil, que torna o crédito mais caro e restrito e, consequentemente, cria grandes entraves para a obtenção de capital...
Saiba mais
FIERGS 22/07/2016 às 12h59
 O Serviço Social da Indústria (Sesi) é a instituição mais lembrada no Brasil quando o assunto é saúde e segurança do trabalho.
Saiba mais
FIERGS 22/07/2016 às 12h52
O Senai-RS conquistou ouro (Tecnologia de Midia Impressa – Murilo Antunes da Silva, na foto), prata (Eletricidade Industrial – Gabriel Mendes) e bronze (...
Saiba mais