AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

economia

Exportações industriais recuam 5,7% em julho

As exportações das indústrias gaúchas somaram US$ 1,32 bilhão em julho, uma queda de 5,7% ante o mesmo mês do ano passado. O setor, que respondeu por 66,15% do total das vendas externas do Estado, registrou a sexta retração consecutiva. "A retração nas vendas para os principais parceiros comerciais da indústria gaúcha, Argentina e EUA, contribuíram para essa desaceleração.

Confiança dos industriais gaúchos atinge o menor patamar

O Índice de Confiança do Empresário Industrial do RS (ICEI-RS) atingiu 42,4 pontos em julho, uma queda de 3,3 pontos em relação ao mês anterior. Com o quarto recuo consecutivo, o indicador atingiu o nível mais baixo já registrado pelo levantamento em 10 anos. Mesmo sem um fator extremo, a atual crise de confiança com a economia é compatível com as registradas em 2005, devido à forte estiagem no Estado, e em 2009, por causa de crise mundial. "A baixa confiança reforça a tendência de continuidade do ciclo recessivo nos próximos meses.

Para FIERGS, é preciso uma política fiscal consistente para manter a taxa de juros adequada

"O Brasil enfrenta uma conjuntura preocupante, em que a inflação está elevada e o crescimento econômico permanece muito baixo. Somente a adoção de medidas estruturais, que tornem o País mais competitivo e que devolvam a confiança dos agentes na economia brasileira, poderá reverter esse quadro.

Exportações gaúchas recuam 26,3% no segundo trimestre

As vendas externas do Rio Grande do Sul totalizaram US$ 5,62 bilhões no segundo trimestre, o que representa uma retração de 26,3% ante os mesmos meses do ano passado. Esse resultado foi puxado pela indústria, que registrou queda de -39,3% e somou US$ 3,25 bilhões. Nesse período em 2013, uma plataforma de petróleo de US$ 1,62 bilhão foi contabilizada como exportação. Sem essa operação extraordinária, a variação da indústria teria sido de -12,8%, o que, ainda assim, caracteriza um cenário preocupante: trata-se do pior desempenho nessa base de comparação desde 2009.

Atividade das indústrias gaúchas cresce em maio, mas não recupera perdas acumuladas

O crescimento de 2,3% na atividade industrial do Estado em maio, na comparação com o mês anterior, sem os efeitos sazonais, não conseguiu suprir totalmente as perdas de -4,7% acumuladas em março e abril. O índice mensal ficou positivo devido ao aumento nas compras de matérias-primas e insumos (6,2%) e na massa salarial (0,3%). Todas as demais variáveis permaneceram negativas: horas trabalhadas na produção (-1,5%), faturamento (-0,9%), utilização da capacidade instalada (-0,5%) e emprego (-0,3%).

Aumenta ociosidade do parque industrial gaúcho

A Sondagem Industrial RS de maio mostra o setor em desaceleração. Com a produtividade em queda e o excesso de estoques acumulados, as indústrias tiveram que reduzir a utilização da capacidade instalada (41 pontos) pelo terceiro mês consecutivo. A última vez que as linhas de produção funcionaram dentro da normalidade foi em abril de 2013 e acima, em março de 2011. "A atividade do setor passa por um processo intenso de retração, expresso tanto nos recuos da produção e do emprego, como na formação estoques excessivos.

Exportações gaúchas recuam 13,3% em maio

As exportações do Rio Grande do Sul em maio totalizaram US$ 1,96 bilhão, uma retração de 13,3% ante o mesmo período de 2013. O resultado negativo foi puxado tanto pelo setor industrial, que respondeu por 56,2% (US$ 1,10 bilhão) do total embarcado e teve um recuo de 14,6%, quanto pelos produtos básicos (queda de 12,0%, somando US$ 839 milhões). "A magnitude e a disseminação do desempenho ruim caracterizam um quadro bastante negativo para o setor exportador gaúcho.

Cientista político diz que Copa do Mundo deve definir cenário brasileiro

Os acontecimentos durante a Copa do Mundo vão definir o cenário político, conforme o cientista político e diretor da Pauta Política, Carlos Alberto Furtado de Melo, palestrante do 5º Meeting de Economia, promovido pelo Sistema FIERGS, por meio do Conselho de Economia e Assuntos Estratégicos e do IEL-RS. Melo afirmou que os acontecimentos até meados da Copa poderão modificar as atuais pesquisas eleitorais. "São os resultados políticos e não futebolísticos que vão determinar o futuro político do País", afirmou.

Indústria gaúcha tem desempenho negativo em abril

Depois de terminar 2013 em queda e começar o ano com forte alta, a atividade da indústria gaúcha fechou abril com um recuo de -1,5%, na comparação com março, descontados os efeitos sazonais. Esta segunda desaceleração consecutiva foi influenciada pela compra de insumos e matéria-prima (-1,1%), massa salarial (-0,7%), emprego (-0,5%) e utilização da capacidade instalada (-0,3%). O resultado só não foi pior devido aos avanços no faturamento (1,5%) e nas horas trabalhadas na produção (0,8%).