AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

enai

 
O ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton afirmou que o mundo precisa de um Brasil bem-sucedido e os EUA, “desesperadamente”, que seu principal parceiro comercial no hemisfério sul dê certo.
 
O Brasil atravessa um dos momentos mais complexos de sua história, que exige correção de rotas, sentido de urgência e enfrentamento de questões econômicas, políticas e institucionais que são obstáculos ao desenvolvimento pleno do país. A conclusão está na Carta da Indústria, divulgada no 10° Encontro Nacional da Indústria (Enai). O documento contém propostas para a superação da crise. "A raiz dos problemas do Estado brasileiro está nas dificuldades de governança e de governabilidade", resumem os empresários.
 
Uma comitiva com 67 participantes, liderada pelo presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Heitor José Müller (foto), participa até esta quinta-feira (12), em Brasília, da 10ª edição do Encontro Nacional da Indústria (Enai).
A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou, nesta quinta-feira, a Carta da Indústria 2014, que apresenta as propostas construídas pelo setor durante os dois dias do 9º Encontro Nacional da Indústria (Enai), reunindo 1,8 mil empresários no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. 

O presidente da FIERGS, Heitor José Müller, destaca que algumas questões das mais importantes que precisam ser resolvidas para que a indústria tenha uma competitividade internacional foram debatidas durante o 8º Enai, em Brasília. "Estamos diminuindo a nossa participação, há 20 anos éramos superavitários e hoje somos deficitários. Esse ano, até fim de outubro, já tínhamos mais de 100 bilhões de dólares de déficit na balança comercial de manufaturados", alerta.

Investimento na infraestrutura de transporte, ampliação do fornecimento de gás natural, elaboração de política para o carvão mineral e a criação de mecanismos para financiar o desenvolvimento estão entre os principais pontos da pauta conjunta defendida pelo Fórum Industrial Sul e pelas bancadas federais dos três Estados da região. Empresários e parlamentares do Rio Grande, Santa Catarina e Paraná tiveram encontro em Brasília, na noite desta quarta-feira, para tratar destes temas.

A comitiva da FIERGS para o 8º Encontro Nacional da Indústria (Enai), entre 11 e 12 de dezembro, em Brasília, terá 69 integrantes, incluindo empresários e representantes sindicais. Este ano, o tema será "O Brasil e os Desafios da Economia Global". A cerimônia de abertura, às 9h30min do dia 11, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, contará com a presença da presidenta Dilma Rousseff. À tarde, a partir das 16h, na palestra magna, o ex-presidente americano Bill Clinton falará sobre "O Brasil e sua Indústria no Contexto do Mercado Global".

A presidenta Dilma Rousseff anunciou, nesta quarta-feira, durante a abertura do 7º Encontro Nacional da Indústria (Enai), promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e que reuniu 1,5 mil industriais do País em Brasília, a prorrogação do Programa de Sustentação do Investimento (PSI) para 2013. "Vamos assegurar que o

sistema atual do PSI seja muito efetivo. Ampliaremos os recursos para mais de R$ 80 bilhões", disse Dilma no evento, que teve também a presença do presidente da

FIERGS, Heitor José Müller, liderando a comitiva gaúcha.

Os empresários reunidos no 7º Encontro Nacional da Indústria (Enai), promovido pela CNI, em Brasília, elencaram uma agenda de defesa de interesses com sete itens. Entre os pontos da Carta da Indústria 2012, divulgada no encerramento do evento, estão a reforma do ICMS, o ataque à burocracia e a má qualidade da educação.

O 7º Encontro Nacional da Indústria (Enai) reúne, nos dias 5 e 6 de dezembro, em Brasília, empresários e líderes de entidades do setor industrial de todos os Estados brasileiros. A comitiva gaúcha, com 65 participantes, será liderada pelo presidente da FIERGS, Heitor José Müller.