AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

enai

O presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry, participou, nesta terça-feira (3), do painel Sustentabilidade e fortalecimento do Sistema Associativo da Indústria, realizado durante o Encontro Nacional da Indústria (Enai) 2018, no Centro Internacional de Convenções, em Brasília.

O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Rio Grande do Sul (Sinplast-RS) conquistou o 1º Prêmio Nacional de Boas Práticas Sindicais, entregue pela CNI nesta terça-feira (3), em Brasília, durante o Encontro Nacional da Indústria. O Sinplast-RS, concorrendo com o case  Criação de Instituto para Valorização do Plástico, foi finalista por ter vencido a etapa regional, organizada pela FIERGS, em junho, e disputou a fase nacional com ganhadores de outras 21 federações industriais do país.

A 11ª edição do Encontro Nacional da Indústria (Enai), que conta com a participação de uma comitiva gaúcha com 70 pessoas, liderada pelo presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry, começou nesta terça-feira (3), no Centro Internacional de Convenções, em Brasília.

A 11ª edição do Encontro Nacional da Indústria (Enai) ocorre na próxima terça-feira (3 de julho), no CICB, em Brasília. O evento será seguido, na quarta-feira (4), no mesmo local, pelo Diálogo da Indústria com os Candidatos à Presidência da República. A comitiva gaúcha, liderada pelo presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry, levará 70 pessoas ao Enai, incluindo vice-presidentes e diretores da FIERGS/CIERGS, presidentes, diretores e delegados representantes de sindicatos industriais. 

 
O ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton afirmou que o mundo precisa de um Brasil bem-sucedido e os EUA, “desesperadamente”, que seu principal parceiro comercial no hemisfério sul dê certo.
 
O Brasil atravessa um dos momentos mais complexos de sua história, que exige correção de rotas, sentido de urgência e enfrentamento de questões econômicas, políticas e institucionais que são obstáculos ao desenvolvimento pleno do país. A conclusão está na Carta da Indústria, divulgada no 10° Encontro Nacional da Indústria (Enai). O documento contém propostas para a superação da crise. "A raiz dos problemas do Estado brasileiro está nas dificuldades de governança e de governabilidade", resumem os empresários.
 
Uma comitiva com 67 participantes, liderada pelo presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Heitor José Müller (foto), participa até esta quinta-feira (12), em Brasília, da 10ª edição do Encontro Nacional da Indústria (Enai).
A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou, nesta quinta-feira, a Carta da Indústria 2014, que apresenta as propostas construídas pelo setor durante os dois dias do 9º Encontro Nacional da Indústria (Enai), reunindo 1,8 mil empresários no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. 

O presidente da FIERGS, Heitor José Müller, destaca que algumas questões das mais importantes que precisam ser resolvidas para que a indústria tenha uma competitividade internacional foram debatidas durante o 8º Enai, em Brasília. "Estamos diminuindo a nossa participação, há 20 anos éramos superavitários e hoje somos deficitários. Esse ano, até fim de outubro, já tínhamos mais de 100 bilhões de dólares de déficit na balança comercial de manufaturados", alerta.

Investimento na infraestrutura de transporte, ampliação do fornecimento de gás natural, elaboração de política para o carvão mineral e a criação de mecanismos para financiar o desenvolvimento estão entre os principais pontos da pauta conjunta defendida pelo Fórum Industrial Sul e pelas bancadas federais dos três Estados da região. Empresários e parlamentares do Rio Grande, Santa Catarina e Paraná tiveram encontro em Brasília, na noite desta quarta-feira, para tratar destes temas.