Você está aqui

exportações

O Rio Grande do Sul avança nos preparativos para captar mais oportunidades comerciais no México. O potencial mercado daquele país foi detalhado nesta terça-feira (14), para empresários na Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), em Porto Alegre. A entidade é parceira em evento realizado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Ao somarem US$ 934 milhões em fevereiro, as exportações do Rio Grande do Sul registraram um crescimento de 8,7% na comparação com o mesmo período de 2016. O grupo das commodities aumentou 17,4% (totalizando US$ 81 milhões). Se, por um lado, a soja caiu 2%, o trigo subiu 111,8%. Já o setor industrial embarcou US$ 846 milhões – 90,6% do total exportado –, um incremento de 8,3%, o maior já registrado desde 2011 no mês, quando alcançou 21,3%. “Estamos apenas devolvendo uma parte dos prejuízos sofridos ao longo dos últimos meses.

A vice-presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Maristela Cusin Longhi, e o diretor e coordenador do Conselho de Agroindústria da entidade (Conagro), Marcos Oderich, participam na próxima segunda e terça-feira, 13 e 14 de março, da assinatura de acordos de cooperação bilateral entre o governo do Estado e as províncias argentinas de Mendoza e Misiones. O país vizinho é o maior parceiro comercial dos gaúchos no Mercosul.

Câmbio e taxa de juros foram os temas principais que pautaram o Fórum de Economia da FIERGS, nesta sexta-feira, em apresentações da Unidade de Estudos Econômicos (UEE) da entidade. De acordo com a UEE, reduzir juros e trazer a taxa de inflação para patamares mais baixos parece ser o caminho seguro que diminuirá a volatilidade da taxa de câmbio no Brasil.

O ano de 2017 começa com aumento nas exportações do Rio Grande do Sul. Do total de US$ 1,075 bilhão comercializado com o exterior em janeiro, um crescimento de 32,6% em relação ao mesmo mês de 2016, US$ 908 milhões (mais de 84%) vieram da indústria, um incremento superior a 21%. Foi a maior taxa registrada desde 2014. O grupo das commodities alcançou US$ 162 milhões (+184,2%), em função do desempenho da soja (+490,5%). “É importante lembrar que o setor exportador carrega para 2017 uma base de comparação com o ano passado que está bastante deprimida.
O ano de 2016 fechou com as exportações em queda no Rio Grande do Sul. Ao somarem um total de US$ 16,6 bilhões no acumulado dos 12 meses, caíram 5,4% em relação a 2015. A maior influência negativa sobre o resultado veio do grupo das commodities, que retraiu 12,1% (somando US$ 4,1 bilhões), principalmente por causa das quedas nas vendas de soja (-7,9%) e de trigo (-70,7%).
 
A indústria gaúcha também acompanhou o ritmo de perdas no ano passado.
Uma comitiva chinesa esteve na FIERGS, nesta quarta-feira (11), recebida pelo coordenador do Conselho de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Concex), Cezar Müller. A reunião foi pautada pela possibilidade de novas oportunidades de negócios, “tanto para a China como para o Brasil, em um momento de incertezas na política internacional”, como destacou o cônsul geral em São Paulo, Song Yang.
A contabilização como exportação de uma plataforma de petróleo e gás para uma subsidiária da Petrobras na Holanda e o incremento no setor de tabaco, especialmente com compras da China, contribuíram para o crescimento nas vendas externas da indústria gaúcha em novembro. Em comparação ao mesmo mês de 2015, esta elevação chegou a 40,9% (US$ 1,50 bilhão). Graças a esta plataforma, que rendeu US$ 388,9 milhões, o setor de outros equipamentos de transporte subiu 19.450% no período.
Pela segunda vez consecutiva, o Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) divulgado pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) registra queda, retomando a tendência negativa depois de um breve período de estabilidade nos quatro meses anteriores. Em outubro, o IDI-RS caiu 1% em relação a setembro, renovando pela terceira vez no ano o recorde negativo da série iniciada em janeiro de 2003. Com exceção do emprego, que subiu 0,2%, todos os indicadores caíram ante o mês anterior, com ajuste sazonal.
Qualificar as exportações de carnes do Rio Grande do Sul e agilizar os processos de Comércio Exterior são ações constantes nas atividades dos conselhos da Agroindústria (Conagro) e de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Concex), da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS).

Páginas

Subscrever exportações