AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

faturamento

O Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) se manteve estável em setembro (0,1%) na comparação com agosto de 2017, apesar da queda em três dos seus seis componentes: faturamento real (-1,7%), horas trabalhadas na produção (-1,9%) e massa salarial real (-1,2%). Os resultados foram divulgados, nesta segunda-feira (6), pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), e apontam ainda estabilidade no emprego (0%) e nas compras industriais (-0,1%). Apenas a utilização da capacidade instalada (UCI) cresceu 0,5 p.p., passando para 79,5%.

O Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), que apura mensalmente a atividade do setor no Estado, e é divulgado pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), voltou a crescer em julho, na comparação com o mês anterior: 1,4%, na série com ajuste sazonal. O resultado foi determinado pelas compras industriais que cresceram 6,3%. Com isso, o índice começa a esboçar reação, após meses de estabilidade. “A tendência é relativamente animadora.

O Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) voltou a crescer em novembro de 2016, na comparação com o mês anterior, feito o ajuste sazonal. A elevação chegou a 3,1%, a primeira após dois meses de queda e a maior taxa desde abril de 2013, quando foi de 4,4%, aponta a Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), nesta quarta-feira (18). Dos seis indicadores que compõem o IDI-RS, apenas a massa salarial caiu (-0,9%), descontados os efeitos sazonais.
Uma semana depois da reunião com o Secretário Especial da Micro e Pequena Empresa, José Ricardo da Veiga, a FIERGS comemora uma importante conquista para as indústrias.
Pela segunda vez consecutiva, o Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) divulgado pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) registra queda, retomando a tendência negativa depois de um breve período de estabilidade nos quatro meses anteriores. Em outubro, o IDI-RS caiu 1% em relação a setembro, renovando pela terceira vez no ano o recorde negativo da série iniciada em janeiro de 2003. Com exceção do emprego, que subiu 0,2%, todos os indicadores caíram ante o mês anterior, com ajuste sazonal.
Dos seis componentes do Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), o indicador divulgado pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) que mede a atividade do setor no Estado, apenas a massa salarial registrou expansão em setembro, na comparação com agosto: 0,5%. Todos os demais caíram, com destaque para o faturamento real das empresas, 16,8%. As horas trabalhadas na produção recuaram 1,5%, as compras, 0,9%; e o emprego, 0,4%, enquanto a Utilização da Capacidade Instalada (UCI) baixou de 77,8% para 77%.
Após uma queda de 2,7% em julho, o Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) recuperou parte das perdas ao crescer 1,6% em agosto, descontados os efeitos sazonais, na comparação com o mês anterior. O resultado, divulgado nesta quarta-feira (5) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), confirma a tendência de acomodação da atividade no Estado nos últimos meses.
O menor número de dias úteis em julho (21), em relação ao mês anterior (22), explica em parte o início de semestre ruim para a indústria gaúcha, que registrou uma queda de 2,8% em sua atividade, na série dessazonalizada, atingindo o patamar mínimo histórico. O resultado aparece no Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), divulgado nesta segunda-feira (5) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS).