AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

IDI-RS

Após uma queda de 1,7% registrada em janeiro, o Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), divulgado pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) nesta quinta-feira (5), voltou a subir em fevereiro, na comparação com o mês anterior: 0,6%. As maiores influências no aumento vieram das compras industriais e da Utilização da Capacidade Instalada (UCI), que cresceram, respectivamente, 2,1% e 1,5 p.p., descontada a sazonalidade. Em contrapartida, voltaram a cair o faturamento real (-0,6%) e as horas trabalhadas na produção (-3,1%).

O Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), que mede o nível de atividade do setor no Estado, após dois meses de crescimento apresentou um recuo de 2% em janeiro, na comparação com dezembro de 2017, feito o ajuste sazonal. Esta queda, porém, comum em períodos de volatilidade que caracterizam as fases de retomada econômica, não indica que a recuperação do setor é interrompida. Prova disso é que, ao comparar os dados com o mesmo período de 2017, o IDI-RS, produzido a partir de pesquisa da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), teve uma alta de 5%.

O Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) registrou, em dezembro de 2017, relativamente a novembro, a maior expansão no comparativo mensal de todo o ano passado: 2,9%, descontados os efeitos sazonais. Duas altas consecutivas – no mês anterior havia alcançado 0,9% – não ocorriam desde o final de 2016, o que levou o índice ao maior nível desde setembro de 2015.  O presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry, alerta que o processo de recuperação, entretanto, é longo.

O Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), divulgado nesta terça-feira (16) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), voltou a crescer em novembro de 2017. Aumentou 0,6%, feito o ajuste sazonal, na comparação com outubro, quando foi negativo em 0,3%. “O resultado do mês não altera o ritmo bastante gradual da recuperação na indústria gaúcha. Apesar de 2017 marcar o fim da mais longa e profunda recessão no País, o baixo nível da atividade industrial se mantém”, afirma o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry.

O Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), que mede o nível de atividade do setor no Estado, caiu 0,3% em outubro em relação a setembro, feito o ajuste sazonal. O resultado, divulgado nesta terça-feira (12) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), deve-se à influência provocada pela redução de 2,1% nas compras industriais, embora todos os demais componentes do IDI-RS tenham se mantido positivos: faturamento real (2,7%) voltou a crescer, o mesmo ocorrendo com as horas trabalhadas (1%), enquanto a utilização da capacidade instalada-UCI (0,1 p.p.) ficou estável em 79,4%.

O Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) se manteve estável em setembro (0,1%) na comparação com agosto de 2017, apesar da queda em três dos seus seis componentes: faturamento real (-1,7%), horas trabalhadas na produção (-1,9%) e massa salarial real (-1,2%). Os resultados foram divulgados, nesta segunda-feira (6), pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), e apontam ainda estabilidade no emprego (0%) e nas compras industriais (-0,1%). Apenas a utilização da capacidade instalada (UCI) cresceu 0,5 p.p., passando para 79,5%.

Depois de subir 1,5% em julho, o Índice de Desempenho Industrial do Rio Grande do Sul (IDI/RS), divulgado nesta quarta-feira (4) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), caiu 0,9% em agosto, na comparação com o mês anterior (com ajuste sazonal). “A queda do IDI não surpreende, pois foi influenciada pela forte retração nas compras industriais, embora os demais indicadores tenham registrado resultados positivos.

O Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), que apura mensalmente a atividade do setor no Estado, e é divulgado pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), voltou a crescer em julho, na comparação com o mês anterior: 1,4%, na série com ajuste sazonal. O resultado foi determinado pelas compras industriais que cresceram 6,3%. Com isso, o índice começa a esboçar reação, após meses de estabilidade. “A tendência é relativamente animadora.

Embora o Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) tenha crescido 2,4% em maio, na comparação dessazonalizada em relação ao mês anterior, o resultado não representa a esperada reação do setor. A alta foi influenciada pela fraca base de comparação, pois a atividade encolheu em março e abril, e, também, pelo efeito calendário: maio teve quatro dias úteis a mais. Mas o resultado, ao menos, recupera o nível de dezembro de 2016.

A atividade do setor secundário gaúcho começa o segundo trimestre de 2017 em baixa, aponta o Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), divulgado nesta terça-feira (6) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS). Em abril, na comparação com março, o IDI-RS caiu pela segunda vez consecutiva (-1,2%), na série com ajuste sazonal. O nível de atividade no quarto mês do ano foi o segundo mais baixo da série iniciada em 2003, o que pode ser explicado, em parte, pelo calendário: abril teve cinco dias úteis a menos do que março.