AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

indicadores industriais

Após uma queda de 1,7% registrada em janeiro, o Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), divulgado pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) nesta quinta-feira (5), voltou a subir em fevereiro, na comparação com o mês anterior: 0,6%. As maiores influências no aumento vieram das compras industriais e da Utilização da Capacidade Instalada (UCI), que cresceram, respectivamente, 2,1% e 1,5 p.p., descontada a sazonalidade. Em contrapartida, voltaram a cair o faturamento real (-0,6%) e as horas trabalhadas na produção (-3,1%).

A atividade da indústria gaúcha caiu 1,8% em maio, em relação ao mês anterior, já descontados os efeitos sazonais. Este resultado suprimiu parte dos 3,9% de crescimento registrado em abril, quando atingiu o patamar mais elevado após a crise econômica mundial de 2008. Apesar da alta volatilidade dos últimos meses, os dados do Índice de Desempenho Industrial (IDI/RS), realizado pela FIERGS, continuam mostrando que o setor fabril manteve sua tendência de recuperação moderada, somando uma alta de 1,3% de março a maio, ante o trimestre imediatamente anterior.

Atividade industrial gaúcha apresentou queda de 0,1% em fevereiro, na comparação com janeiro, sem os efeitos sazonais. Com este resultado, o setor completa dois anos de estagnação. "Estamos no mesmo nível de 2010 e a consolidação de mudanças estruturais para reduzir os custos de produção, como a Reforma Tributária, é cada vez mais urgente.

O Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), divulgado nesta terça-feira (1º/2) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), encerra 2010 com o maior crescimento nos últimos dez anos. Entre janeiro e dezembro, a atividade do setor no Estado obteve um incremento de 8,7%, a segunda maior da história, só perdendo para 2000, quando o aumento foi de 10,2%. Apesar da recuperação, o desempenho ainda é insuficiente para anular a queda recorde de 12,1%, observada em 2009.

A atividade industrial gaúcha caiu 0,5% em outubro, na comparação com setembro, sem os efeitos sazonais. "O setor continua trabalhando fortemente para recuperar as perdas com a crise econômica mundial, apesar do ritmo de expansão estar mais lento. Com a vocação exportadora do Estado, a valorização do câmbio é um fator que vem interferindo negativamente no resultado final. Sem ele, já poderíamos ter voltado aos padrões de 2008", disse o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Paulo Tigre, nessa quinta-feira (2).

A atividade industrial gaúcha cresceu 2,1% no terceiro trimestre de 2010, em comparação com o segundo trimestre, sem os efeitos sazonais. "Apesar de ter avançado em um ritmo mais moderado nesse período, o setor está em contínua recuperação das perdas provocadas pela crise econômica mundial. A retração do mercado externo e a valorização do câmbio são os principais elementos inibidores de uma retomada mais consistente", disse o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Paulo Tigre, nessa quinta-feira (4).

Depois de seis meses alternando movimentos de avanços e quedas, a atividade industrial gaúcha encerrou o primeiro semestre com uma elevação de 9,8%, ante o mesmo período de 2009. Apesar de positivo, o resultado ainda está abaixo de 2008. "As oscilações fazem parte do processo de recuperação do setor produtivo diante da crise mundial.

Pelo segundo mês consecutivo a atividade industrial gaúcha teve retração, fechando maio com queda de 1%, em comparação com abril, descontados os efeitos sazonais. O resultado também significou a terceira desaceleração em cinco meses. Os indicadores que impactaram no resultado foram Compras (-5,3%) de insumos e matérias-primas e Faturamento (-1,1%). O Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), foi divulgado nesta segunda-feira (5).

O Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), medido mensalmente pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), revela a intensificação da atividade industrial em março, com um crescimento de 1,2% em relação a fevereiro de 2010. O resultado, divulgado nesta segunda-feira (3) pela FIERGS, representa a nona elevação nos últimos 11 meses. "Seguimos no processo de retomada, foi mais um passo em direção à recuperação total da crise que se agravou a partir do final de 2008", disse o presidente da entidade, Paulo Tigre.

As variáveis ligadas à produção, entre elas Faturamento, Compras e Horas Trabalhadas, puxaram a elevação do Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) de fevereiro no Rio Grande do Sul. Em comparação com o mesmo mês de 2009, ocorreu um incremento de 5,5%. O resultado, divulgado pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul nesta quarta-feira (31), apresenta o terceiro mês consecutivo de aumento, após 13 de queda, que ocorreu até novembro do ano passado.