AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

inovação

Começou nesta quinta-feira (14) em 47 unidades do Senai-RS, a 9ª edição do Mundo Senai. A iniciativa tem por objetivo abrir as portas da instituição para que a comunidade possa conhecer mais sobre educação profissional, inovação e tecnologia industrial. No Instituto Senai de Inovação em Soluções Integradas em Metalmecânica o movimento começou cedo. Com expectativa de alcançar  mil visitantes, a unidade conta com atrações extras como a Seletiva estadual da Olimpíada do Conhecimento e o Inova Senai e Projetos Integradores.

Nos dias 14 e 15 de setembro, o Senai promove a 9ª edição do Mundo Senai. A iniciativa tem por objetivo abrir as portas da instituição para que a comunidade possa conhecer mais sobre educação profissional, inovação e tecnologia industrial. São diversas oportunidades de interação e um ambiente ideal para o contato com o conhecimento, onde é possível aprender mais sobre profissões e decidir com mais segurança qual carreira profissional se deseja seguir.

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) anunciou na última quarta-feira o Instituto Senai de Inovação em Soluções em Metalmecânica, de São Leopoldo, como nova instituição parceira. Em coletiva dos ministros de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, e de Educação, Mendonça Filho, em Brasília, foi anunciado outros quatro institutos Senai de inovação credenciados: Institutos Senai de Inovação em Metalurgia e Ligas Especiais (MG), Eletroquímica Industrial (PR), Sistemas Embarcados (SC) e Biomassa (MS).

Montenegro recebe de 12 a 14 de setembro Sesi Com Ciência que leva o Museu Itinerante de Ciência e Tecnologia da PUC/RS a Escola Sesi de Ensino Médio de Montenegro (rua Campos Neto, 455). “O conhecimento é o bem maior que um cidadão pode adquirir. E o Sesi-RS está levando a ciência e a cultura ao trabalhador da indústria e seus dependentes”, destaca o superintendente do Sesi-RS, Juliano Colombo.  A intenção é promover a popularização da ciência e da tecnologia nas escolas e comunidade e instigar as crianças a construir um novo entendimento do aprender.

Entre as possibilidades de produção de energia elétrica a partir de fontes renováveis, o biogás desponta como uma das estrelas para os planos de investidores grandes e pequenos. Com a popularização da chamada Geração Distribuída de Energia, na qual os consumidores produzem o próprio insumo e ainda podem ceder o excedente para a rede nacional, gerando crédito em sua conta, o avanço tecnológico colabora e torna a ideia viável.

Com onze, de 51 projetos confirmados em todo o Brasil, o Senai gaúcho foi o que mais aprovou no primeiro ciclo de 2017 do Edital de Inovação para a Indústria. O anúncio foi feito pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), o Serviço Social da Indústria (Sesi) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Dos selecionados, 11 são da categoria A (Inovação Tecnológica para grandes e médias empresas) e 40 da categoria B (Inovação Tecnológica para micro e pequenas empresas e startups de base tecnológica).

A partir de agora, as empresas que participarem do Inova Talentos, iniciativa do Instituto Euvaldo Lodi, poderão usar o crédito do Cartão BNDES para custear sua participação. O Inova Talentos ajuda empresas a encontrar profissionais para desenvolver projetos de inovação, por um ano. O cartão é usado principalmente por micro e pequenas empresas para financiar compra de serviços e produtos, com limite de R$ 2 milhões.

A geração de energia elétrica pelos próprios consumidores é realidade. Com tecnologia acessível e custo decrescente, a modalidade chamada Geração Distribuída de Energia com Fontes Renováveis pode ser considerada uma nova revolução nas relações entre sociedades e governos, até bem pouco tempo, os únicos provedores de energia.

A ideia de que o futuro é distante não se aplica mais à indústria e seus processos produtivos. A FIERGS, por meio de seu Conselho de Inovação e Tecnologia (Citec), apoia parceiros que estão de olho no impacto da tecnologia no desenvolvimento do setor. É o caso do Programa Future Footwear (FF), um verdadeiro guarda-chuva de ações que busca entender e reestruturar as empresas para o futuro da indústria calçadista.

A inovação na liderança precisa equilibrar a orientação da busca do resultado e o engajamento dentro da empresa. Este foi o tema explorado pelo especialista em estratégia pelo MIT, Mario Sergio Kojima, no curso Liderança Inovadora em Execução Estratégica, realizado até este sábado, no Insituto Ling, em Porto Alegre.