AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

sondagem industrial

Pelo terceiro mês consecutivo, o indicador que avalia a intenção dos empresários gaúchos de investir nos próximos seis meses subiu, aponta a Sondagem Industrial do RS, divulgada nesta terça-feira (31) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS). Ao atingir 49,7 pontos – foi de 47,1 na pesquisa anterior –, obteve o maior resultado desde fevereiro de 2015. Quanto mais alto o índice, que varia de 0 a 100, maior a propensão para novos investimentos. “Os investimentos tendem a responder tardiamente à retomada da economia.

A Sondagem Industrial de agosto, divulgada nesta quinta-feira (27) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), mostra que o índice de produção do setor evoluiu de 51,6 para 55,7 pontos em agosto, em relação a julho, a maior elevação no mês desde o ano de 2010, início da série histórica. “Esse fato, juntamente com o aumento registrado em outros indicadores da pesquisa, aponta aceleração no ritmo de crescimento da atividade e perspectivas positivas para os próximos meses“, diz o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry.

A Sondagem Industrial do RS em julho, divulgada nesta quarta-feira (30) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), mostra uma expectativa mais otimista por parte dos empresários. “Contribuíram para isso alguns resultados que apontam o aumento na produção industrial, menor número de demissões, redução da ociosidade e estoques ajustados”, afirma o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry.

A demanda interna insuficiente, segundo 49,4% dos empresários gaúchos consultados pela Sondagem Industrial divulgada pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), nesta quinta-feira (27), foi apontada como o principal limitador a um melhor desempenho do setor no segundo trimestre de 2017 no Estado. “A crise econômica que traz insegurança e reduz o consumo, afeta diretamente a indústria e mantém a cautela do empresário para investir.

Excesso de estoques, ociosidade elevada e redução de empregos, apesar do aumento da produção no setor em maio, foram os problemas detectados na pesquisa da Sondagem Industrial RS, divulgada pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), nesta quarta-feira (28). Este cenário, aliado à indefinição na crise política, piora as expectativas de crescimento da demanda para os próximos seis meses.

A Sondagem Industrial de abril, divulgada nesta terça-feira (30) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), mostra queda drástica na produção industrial (40,4 pontos) e leve no emprego (48,3), na comparação com março (57 e 49,5 pontos, respectivamente). Um motivo a contribuir para esta redução foi o fato de o mês ter cinco dias úteis a menos do que o anterior.

A Sondagem Industrial do RS de março, que fecha o primeiro trimestre de 2017, divulgada nesta quinta-feira (4) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), revela uma melhora na atividade e o maior crescimento da produção gaúcha nos últimos quatro anos, com 57 pontos. Ao mesmo tempo, o emprego industrial mostra perdas menos intensas nos meses recentes. Ficou em 49,5 pontos, o que significa um quadro de funcionários muito próximo da estabilidade em relação a fevereiro (49,7).

Após 33 meses de queda, o Indicador de Emprego da Sondagem Industrial, divulgada nesta quarta-feira (29) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), revela estabilidade ao alcançar 49,7 pontos em fevereiro, na comparação com janeiro de 2017. Outro índice do levantamento, o da produção industrial, também chega a 49,7 pontos mostrando, pela proximidade com a linha divisória dos 50, que ficou estável em relação ao primeiro mês do ano. Para efeito de comparação, no mesmo período de 2016 o indicador estava em 45,7 pontos e, em 2015, em 40,6.

Apesar de os indicadores da Sondagem Industrial do RS, divulgada nesta quinta-feira (2) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), revelarem queda na produção por permanecerem abaixo da linha dos 50 pontos, a pesquisa traz uma perspectiva mais otimista para o futuro. Realizada com 248 empresas gaúchas de pequeno, médio e grande porte, no período de 1º a 13 de fevereiro, a sondagem aponta que as expectativas para os próximos seis meses cresceram, na comparação com o resultado de janeiro.
Dezembro de 2016 revelou a menor queda de produção dos últimos cinco anos para a indústria gaúcha. O tradicional desaquecimento sazonal da atividade para o mês, de 39,4 pontos, ficou atrás apenas de dezembro de 2011, quando o índice atingiu 41,7 pontos. A pesquisa Sondagem Industrial foi divulgada nesta quarta-feira (25) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS).