You are here

FIERGS apóia Programa Ambiental

Paulo Tigre participou de assinatura de convênio com a governadora

Ao lado da governadora Yeda Crusius, de secretários de Estado e de outras autoridades, o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, Paulo Tigre, participou na tarde desta quarta-feira (dia 7), na sede da FIERGS, da segunda fase do lançamento do Programa de Educação Ambiental Compartilhada (Peac), do governo do Estado. Na ocasião, foi assinado um convênio entre o governo e as demais empresas e entidades parceiras da iniciativa − entre elas a FIERGS −, que foi lançada oficialmente na sua primeira fase em junho de 2005.

Yeda Crusius destacou o engajamento de vários setores da sociedade gaúcha ao programa. "O conjunto de assinaturas é memorável, não só pelo número, mas pelo conteúdo das ações que hoje celebramos", destacou a governadora em seu pronunciamento.

Paulo Tigre salientou a importância da educação para o meio ambiente, lembrando que desde 1995 o Sistema FIERGS demonstra preocupação com o tema, tendo criado junto ao Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-RS) o Centro Nacional de Tecnologias Limpas (CNTL), que trabalha na orientação às indústrias e no apoio a governos para o estabelecimento de políticas ambientais. "A indústria trabalha e produz poluindo menos", afirmou. "O futuro de um ambiente mais cuidado depende do que ensinarmos aos nossos filhos e netos". Tigre lembrou ainda do Conselho de Meio Ambiente e do Balcão Ambiental, outras duas iniciativas da FIERGS que demonstram a preocupação da entidade com o tema.

Em sua primeira fase, o Peac envolveu 180 escolas do Projeto Escola Aberta para Cidadania, da Secretaria da Educação (Seduc), e do Programa Pró-Mar-de-Dentro, da Secretaria do Meio Ambiente (Sema). Foram desenvolvidos 200 projetos socioambientais focados em destinação adequada de resíduos sólidos, coleta seletiva, uso racional da água, diminuição do desperdício de materiais reutilizáveis, valorização de bens públicos e patrimônio das escolas, plantio de árvores, entre outros.

O programa é realizado, basicamente, por meio do agente prevencionista, que desenvolve atividades relacionadas a riscos diversos, entre elas as que envolvem os ambientes natural, social, cultural doméstico e de trabalho. Podem ser agentes professores e cidadãos voluntários do Projeto Escola Aberta para Cidadania. A meta da segunda fase do Peac é passar para 400 o número de projetos.

O secretário do Meio Ambiente, Otaviano Moraes, observou que todos temos deveres legais a cumprir, mas que este programa proporciona, além do cumprimento legal, realizar uma ação profundamente ética. A secretária de Educação Adjunta, Salete Cadore, ressaltou a "tarefa de trabalhar pedagogicamente a questão ambiental", preparando o cidadão para o futuro, respeitando a natureza.

Publicado Wednesday, 7 May 2008 - 12h00