You are here

Crise da Venezuela afeta exportações da indústria gaúcha

A grave crise político-econômica da Venezuela, com  pouca diversificação da economia, dependência do petróleo e isolamento geopolítico do país  mostra que não  há perspectiva de retomada do comércio do Estado com um parceiro que já se mostrou importante na pauta de exportações da indústria gaúcha. A análise da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), divulgada nesta quinta-feira (28), registra que as exportações brasileiras passaram de cerca de U$ 5 bilhões em 2012 (quando a Venezuela era nosso 8º maior destino) para menos de U$ 600 milhões no ano passado (tornando-se 51º maior comprador). Mesmo o Rio Grande do Sul tendo importante participação nas vendas para o país, houve uma diminuição de venda de produtos industriais.

A mudança de pauta tem como consequência a queda de valores. As exportações do Rio Grande do Sul para a Venezuela, em média de US$ 300 milhões, alcançaram US$ 145 milhões no ano passado. “A pauta era variada com alimentos, carrocerias de ônibus, tratores, móveis, calçados e polímeros, e representavam 11,1% em média do total exportado pelo Brasil. No último ano, apesar de responder por 25% das exportações brasileiras para a Venezuela, houve uma diminuição drástica das compras assim como mudança da pauta para produtos alimentícios e bens de consumo não-duráveis”, ressalta o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry.

 

O Rio Grande do Sul também tem relação tradicionalmente superavitária com a Venezuela. Conforme a análise, nos últimos 10 anos, à exceção de 2010, 2013 e 2014, quando nossas importações de petróleo foram excepcionalmente grandes, as exportações superaram as compras para o país. Se em 2013 compramos US$ 665 milhões, no ano passado, esse valor chegou a somente US$ 15,3 milhões. Os números revelam que o tradicional destino de cadeias produtivas mais avançadas e de maior valor agregado no Estado, a Venezuela levará tempo para recuperar a pujança que demonstrou há menos de uma década. Da mesma forma, a indústria do Rio Grande do Sul perde muito com a situação interna do país, no qual já teve um dos principais parceiros comerciais.

Publicado Thursday, 28 February 2019 - 4h01
30/09/2022
Educação Empresarial
30/09/2022
Institucional