You are here

Asfalto com casca de arroz e PET pode ter aplicação composta com sistema de geração de energia

O asfalto normalmente é produzido a partir de petróleo, um recurso cada vez mais escasso e que afeta o ecossistema aquático. Para buscar uma alternativa a esse material, um grupo de estudantes da Escola Sesi de Ensino Médio de Gravataí desenvolveu um novo tipo de asfalto, utilizando garrafas PET e cascas de arroz. Mais do que isso: o projeto prevê a aplicação do asfalto com a instalação de um sistema que gera energia elétrica.

A novidade foi apresentada durante o  Sesi com @Ciência, nessa segunda-feira (30), no Centro de Eventos FIERGS. Trata-se de uma iniciativa que mobilizou as estudantes Angélica Brum, Gabriela Cardoso e Kamily Monteiro. Segundo elas, a aplicação do asfalto na superfície de rodovias, por exemplo, poderia agregar um sistema com cristais peizoelétricos e fios conectados, possivelmente na rede elétrica. O peso de 20 carros em um mês, por exemplo, que passam pelo asfalto, poderia abastecer a necessidade de uma casa. O trabalho foi citado com destaque pelo presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Anderson Ribeiro Correia, em sua manifestação de abertura.

O projeto contou com a orientação da professora Bruna Urtassun e a co-orientação de Rafael Abruzzi. As alunas iniciaram a ideia buscando uma matéria-prima mais sustentável e mais resistente, já que o solo asfáltico convencional, que deveria durar 12 anos, costuma apresentar rachaduras, o que pode causar acidentes. A ideia era reduzir a extração de recursos naturais, como o petróleo, e buscar o reaproveitamento de materiais que eram descartados incorretamente.

A partir disso, o grupo desenvolveu um primeiro protótipo utilizando polietileno de alta densidade, brita e casca de pinhão. Mas a matéria-prima foi substituída pela casca de arroz, que alimenta mais da metade da população do planeta e que já teve sua resistência comprovada para o uso em construções. “A casca de arroz pode ser comprada bem barata nas indústrias e associada ao PET, um polímero termoplástico abundante como resíduo, resulta no asfalto testado por nós”, conta Gabriela Monteiro.

Sesi com@Ciência - Asfalto de casca de arroz

Crédito foto: Dudu Leal

O projeto consiste em fundir o PET e as cascas de arroz para tornar o protótipo mais resistente aos impactos que o asfalto é submetido diariamente. Além disso, a solução é financeiramente viável por utilizar resíduos como matéria-prima. “Escrevemos para uma empresa fabricante de asfalto e tivemos a resposta de que o custo de uma tonelada de asfalto tradicional chega a R$ 400,00. O nosso asfalto foi calculado para render uma tonelada a R$ 86,00”, detalha a colega Gabriela Cardoso.

Para desenvolver o projeto, alunos e funcionários da escola fizeram doações de embalagens PET, e as estudantes também aproveitaram as cascas provenientes da safra de arroz. Dentre os resultados preliminares, já foi possível observar que a composição unindo PET e casca de arroz, além de mais sustentável e econômica, também é mais resistente.

O grupo apresentou o projeto em um evento de Ciências na cidade de Juazeiro do Norte (CE) chamado Mostra Científica do Cariri (Mocica). As estudantes gaúchas ganharam o segundo lugar na área de engenharia e sentiram-se ainda mais motivadas. “Quando a gente terminar o Ensino Médio, pode ser um projeto de nossa vida. A sustentabilidade ambiental é necessária”, empolga-se Kamily Monteiro, mostrando o protótipo e como o peso de um corpo apoiado no bloco de asfalto gera energia.

A apresentação do projeto faz parte das atrações do Sesi com@Ciência, um evento de estudantes, docentes e pesquisadores que reúne mais de dez mil pessoas interessadas em desenvolver a educação no Brasil. São 200 projetos e protótipos de alunos dos programas educacionais do Sesi, incluindo contraturno escolar, Educação de Jovens e Adultos e Ensino Médio.

O evento ocorre entre até esta terça-feira, 1º de outubro, das 9h às 21h, no Centro de Eventos da FIERGS, em Porto Alegre. Ao longo dos dois dias, estão sendo promovidos debates, vivências, apresentações e reflexões e todas as atrações terão entrada franca.

Confira a programação completa aqui.

Publicado Monday, 30 September 2019 - 5h13