You are here

Do lixo para a geração de energia: briquete é o produto dos estudantes da EJA de Pelotas

Em tempos de evidências para a necessidade de reversão de danos ao Meio Ambiente, uma turma de estudantes de Educação de Jovens e Adultos (EJA) do Sesi de Pelotas deverá ser inspiração para colegas em todo o Rio Grande do Sul. Com orientação do professor Everton da Silva Lemos, eles buscaram uma forma organizada de produzir seu próprio estoque de briquetes. Isto é, Igor Mattos Silveira, Leandro da Costa Molina, Luã Rodrigues Villar, Michel Pereira Cavalheiros e Rita de Cássia Domingues Rosa estão prestes a prosseguir com um empreendimento que criaram em aula e apresentaram no Sesi Com @Ciência, entre os dias 30 de setembro e 1º de outubro, na FIERGS .

O briquete é considerado um substituto da lenha e é conhecido como carvão ecológico. Ele é fabricado a partir de um processo de secagem e prensagem de resíduos de madeira ou de outros itens que seriam descartados pelas pessoas, empresas, comércio e escolas. “A serragem é descartada nas empresas. Eu mesmo trabalho em uma serraria e via aquilo indo para o lixo. Falei com o diretor e ele prontamente autorizou o recolhimento para o nosso projeto”, conta Igor de Mattos, um dos integrantes do grupo.

O trabalho da turma, então, foi o de resgatar o que é desperdiçado em residências, lojas, supermercados ou outros ambientes. Eles realizaram o processo de mistura, agregando papelão de caixas, por exemplo. E passaram a produzir seus próprios briquetes, inclusive, fornecendo o produto para o mercado. “O briquete tem uma combustão mais eficiente do que a lenha. Um fogão precisa de cerca de 10 paus de lenha para cozinhar uma panela de feijão. A mesma panela precisa de apenas 3 a 4 briquetes”, afirma a colega Rita de Cássia da Rosa.

Sesi com@Ciência - Briquetes

Crédito foto: Dudu Leal

Segundo os participantes, o problema de descarte de lixo não é localizado, mas generalizado. Portanto, há demanda para que os briquetes possam ser pensados como produto que não é literalmente um lixo. O grupo de estudantes deverá ainda planejar a formatação de um negócio e apresentar soluções que possam ter impacto entre os demais estudantes da escola. “Se for viável, queremos ter uma empresa, sim. É uma possível fonte de renda e ainda um trabalho que faz bem. Precisamos melhorar a parte de logística para o recolhimento da matéria-prima”, complementa Rita de Cássia.

O objetivo do trabalho com briquetes é que eles possam substituir com eficiência o consumo de gás, energia elétrica, carvão vegetal, carvão mineral, lenha ou outros tipos de combustíveis que possuem custos elevados e impactam no meio ambiente.

O Sesi Com @Ciência é um grande encontro com foco em Educação. Estudantes, docentes e pesquisadores junto com a sociedade em geral expõem, analisam, projetam o desenvolvimento do Brasil nesse tema. A expectativa é de mais de 10 mil participantes em todas as atividades que serão realizadas nos dois dias de evento, das 9h às 21h, no Centro de Eventos da FIERGS, em Porto Alegre, com debates, vivências, apresentações, palestras e reflexões para o futuro. Todas as atrações têm entrada franca.

Confira a programação aqui.

Publicado Monday, 30 September 2019 - 6h38