You are here

Com uma pequena elevação de 0,2 ponto, o Índice de Confiança do Empresário Industrial gaúcho (ICEI-RS), divulgado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS) nessa quinta-feira (20), chegou a 58,7 em janeiro de 2022. O que demonstra um quadro praticamente estável na comparação com dezembro de 2021, mas de otimismo entre os empresários, revelado pelo resultado acima dos 50 pontos. “A confiança da indústria gaúcha permanece em patamares elevados com o retorno das atividades econômicas e o bom desempenho das exportações, fatores que também sustentam o crescimento da produção do setor no estado”, diz o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry.

Vale ressaltar, porém, que o ICEI-RS de janeiro é o menor em um início de ano desde 2017, quando foi de 51,7 pontos. “As dificuldades ainda presentes na cadeia de suprimentos e as consequentes pressões nos custos de produção, o ciclo de alta dos juros e a inflação elevada ajudam explicar o menor nível de confiança na comparação com os anos anteriores, juntamente com a estiagem e o aumento de casos de Covid-19”, explica o presidente da FIERGS, ressaltando que a confiança sinaliza a continuidade da trajetória positiva da indústria gaúcha para os próximos meses.

O Índice de Condições Atuais do ICEI-RS subiu 1,6 ponto ante dezembro de 2021, atingindo 54,7 em janeiro. Acima de 50 indica que os empresários gaúchos percebem melhora nas condições dos negócios. Tal sinalização positiva, entretanto, se dá somente nas condições das empresas, cujo índice subiu de 55,7 para 57,1 pontos. O Índice de Condições da Economia Brasileira também cresceu de 47,9, em dezembro, para 49,8 pontos, em janeiro. O resultado, muito próximo dos 50, demonstra que a economia brasileira parou de piorar. De fato, os percentuais de empresários que percebem piora e melhora nesse índice são similares: 24% e 21,6%, respectivamente. A maioria, 54,4%, não vê mudanças.

FUTURO
As expectativas da indústria gaúcha para os próximos seis meses permanecem positivas na pesquisa realizada entre 3 e 14 de janeiro, e sem grandes alterações na comparação com dezembro. O Índice de Expectativas recuou de 61,2 para 60,7 pontos no período. Acima de 50, segue revelando otimismo. As expectativas são positivas para a economia brasileira – índice de 54,7 pontos (foi 55 em dezembro) – e, principalmente, para as empresas – 63,8 (64,3 em dezembro). Em janeiro, 33,3% e 56,9% dos empresários gaúchos estão otimistas, respectivamente, com o futuro da economia brasileira e das próprias empresas. Na mesma ordem, os percentuais de pessimistas são de 14,7% e 4,9%.

Foram consultadas 212 empresas, sendo 47 pequenas, 66 médias e 99 grandes. Acompanhe a pesquisa completa aqui.

Publicado Thursday, 20 January 2022 - 6h06