AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

FIERGS acompanha missão oficial gaúcha na Argentina

Representatividade

A vice-presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Maristela Cusin Longhi, e o diretor e coordenador do Conselho de Agroindústria da entidade (Conagro), Marcos Oderich, participam na próxima segunda e terça-feira, 13 e 14 de março, da assinatura de acordos de cooperação bilateral entre o governo do Estado e as províncias argentinas de Mendoza e Misiones. O país vizinho é o maior parceiro comercial dos gaúchos no Mercosul.

Além de acompanhar a delegação liderada pelo governador José Ivo Sartori e participar das negociações setoriais nas regiões do país vizinho, a FIERGS irá verificar novas possibilidades de cooperação e negócios para a indústria gaúcha. Em Mendoza, o acordo a ser assinado terá foco na agroindústria, com destaque para vinhos, hortifruticultura, olivicultura e metalmecânico. Já em Missiones a parceria comercial envolverá os setores de madeira, móveis, meio ambiente, agricultura, políticas sociais e trabalho, turismo e desenvolvimento econômico.

Os acordos são resultados de negociações que iniciaram em agosto do ano passado, para reaproximar o Estado da Argentina no governo Macri e incrementar as relações bilaterais, além de fortalecer os laços de cooperação no âmbito institucional, técnico e empresarial.

Balança comercial
Nos primeiros dois meses deste ano, as exportações gaúchas para o país vizinho cresceram 45% em relação ao mesmo período de 2016. Por outro lado, as importações incrementaram 12%, representando uma elevação de 26% na corrente de comércio.

Em 2016, 95% das vendas do Rio Grande do Sul para a Argentina foram de produtos manufaturados, 3% semimanufaturados e 2% de produtos básicos. O principal comercializado foram veículos (36%), seguido de plástico e suas obras (18%), máquinas e equipamentos (11%), calçados (5%) e borracha (4%). 

Em contrapartida, o Estado importou veículos (63%), cereais (12%), máquinas e equipamentos (4%).