AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

Rio Grande do Sul e Misiones trabalham por projetos em comum

Relações Internacionais

Dar sequência ao projeto de aproximação entre o Rio Grande do Sul e a província argentina de Misiones foi o objetivo do seminário realizado na sede da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), nesta terça-feira (10). “Nossas regiões são importantes no contexto nacional dos países e possuem diversas oportunidades de cooperação na indústria, comércio e serviços”, afirmou o presidente em exercício da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Ribeiro, lembrando que o país vizinho trata-se do segundo destino das exportações gaúchas e a principal origem das importações, respondendo por 23% das compras externas do RS. “Para a FIERGS, o intercâmbio com a Argentina é prioritário”, ressaltou. O evento é continuidade da missão realizada a Misiones em março deste ano.

Secretário adjunto da Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Evandro Fontana destacou que as conversas bilaterais entre as duas regiões já “rende frutos”. “Temos um memorando de entendimento entre o Estado do Rio Grande do Sul e a Província de Misiones e isso repercute em várias áreas. Negociações não só no campo empresarial, mas também relacionadas ao meio ambiente, turismo, agricultura, desenvolvimento econômico de um modo geral”, disse. Misiones tem uma população de 1,1 milhão de pessoas e é a oitava maior economia da Argentina.

Já o ministro de Coordenação de Gabinete de Misiones, Adolfo Pischik, observou que a província e o Estado do Rio Grande do Sul planejam em conjunto políticas comuns de desenvolvimento. “Precisamos ser articuladores e trabalhar por uma melhor relação que ainda está por vir”, afirmou.

O ministro da indústria de Misiones, Luis Lichowski, observou que os próximos passos após os encontros são mapear quais as necessidades e as similaridades para a aproximação concreta e produtiva entre as duas regiões. “Quando falamos de ervas e chás, temos a oportunidade de encarar novos mercados juntos. Em relação à logística, por conta da proximidade entre Rio Grande do Sul e Misiones, região que tem sobre o rio Paraná um importante porto, reduziria custos de exportação e importação para as empresas gaúchas”, afirmou o ministro.

Um exemplo de integração produtiva entre Brasil e Argentina é da fabricante de erva-mate Ximango, de Ilópolis (RS). Presente no evento, a sócia-diretora da empresa Juliana Montagner relatou que em 2013 a indústria implementou um novo sistema de produção, por meio do intercâmbio com uma indústria argentina, que utiliza o cavaco de lenha em substituição à tora no processo de desidratação das folhas. “Graças a esse intercâmbio, tivemos o privilégio de ser a primeira indústria de erva-mate do país a utilizar esse sistema, que reduz significativamente o impacto ambiental, preserva as propriedades da folha e gera um produto mais puro”, explicou Juliana. 

O ministro da Agricultura e da Produção da província argentina, José Luis Garay, tratou de dois principais segmentos da região, a erva-mate – Misiones é a maior produtora e exportadora deste produto no mundo – e o  tabaco. Também participaram representantes de câmaras setoriais argentinas dos segmentos de erva-mate e chás, construção civil, metalmecânica e madeira florestal, juntamente com empresários gaúchos de diversos setores.

Na noite de segunda-feira, o presidente em exercício Gilberto Ribeiro esteve no Palácio Piratini, onde participou do encontro do governador José Ivo Sartori com o governador de Misiones, Hugo Maria Passalacqua.

Crédito fotos: Dudu Leal