AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

confiança

A implementação de medidas governamentais voltadas ao aumento da competitividade colaboram para manter positiva a expectativa dos industriais gaúchos no primeiro mês do ano. Entretanto, ela segue contida, em função do cenário de incertezas e o temor pela ameaça de aceleração da inflação. O resultado deste levantamento encontra-se no Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI/RS) de janeiro, divulgado nesta segunda-feira (4) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul. O ICEI/RS alcançou 55,8 pontos, praticamente o mesmo valor de dezembro (55,9 pontos).

A atividade industrial gaúcha de outubro mostra que o processo de recuperação do setor voltou a crescer com força. O avanço de 2,1% em comparação com o mês de setembro, na série livre de influências sazonais, alcançou o maior nível do pós-crise. "O sincronismo e o vigor dos indicadores associados à produção confirmam a recuperação em curso. A combinação dos estímulos governamentais e do ajustamento dos estoques sustenta esse prognóstico positivo", avaliou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, Heitor José Müller, nesta quarta-feira (19).

O Índice de Confiança do Empresário Industrial gaúcho (ICEI/RS), elaborado pela FIERGS, avançou pelo quarto mês consecutivo e somou 57,8 pontos em novembro. O valor obtido voltou a ficar acima da média histórica após 20 meses e significa que a recuperação do setor, apesar de lenta, deve continuar em relação aos negócios e à economia gaúcha e brasileira. "Este ano foi muito desafiador para o setor produtivo, a desaceleração na atividade econômica interna e externa abalou a confiança dos negócios.

O Índice de Confiança do Empresário Industrial gaúcho (ICEI/RS), elaborado pela FIERGS, avançou pelo terceiro mês consecutivo e somou 56 pontos em outubro. O valor obtido é o maior desde maio do ano passado e significa um otimismo moderado em relação aos negócios e à economia gaúcha e brasileira. "Os estímulos do governo ao setor industrial estão surtindo mais efeito agora que os estoques de produtos diminuíram", afirmou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Heitor José Müller.

A Faculdade Senai de Tecnologia promove de 22 a 24 de outubro a Semana Acadêmica com atividades voltadas às áreas de Telecomunicações e de Automação Industrial para estudantes, professores e convidados interessados na discussão sobre as novas tendências do perfil profissional e de mercado de trabalho nestas áreas. A programação, na parte da manhã e noite, conta com palestrantes convidados de diversas empresas, além da apresentação de estudos científicos dos estudantes e exposição de trabalhos. Informações: (51) 3347-8400.

A atividade da indústria gaúcha cresceu pelo segundo mês consecutivo ao avançar 0,2% em agosto, ante julho, com os ajustes sazonais. "Parece que o pior momento ficou para trás. Mesmo que a retomada do setor ainda seja lenta, há expectativa de que ocorra uma maior aceleração nos próximos meses", avaliou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Heitor José Müller, nesta segunda-feira (8), ao divulgar o Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS).

O Índice de Confiança do Empresário Industrial gaúcho (ICEI/RS), elaborado pela FIERGS, demonstrou o primeiro sinal de recuperação, após três meses de queda, ao alcançar 55,7 pontos em setembro, valor 3,8 pontos acima do registrado em agosto. O aumento do indicador sugere uma retomada da atividade industrial, sobretudo por ter sido causado não apenas por uma evolução relativa nas condições atuais, mas por uma reavaliação das expectativas futuras.

Após três quedas consecutivas, a atividade da indústria gaúcha voltou a crescer na passagem de junho para julho. O Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), elaborado pela FIERGS, apresentou elevação de 3,4%, com os ajustes sazonais.

A situação da economia brasileira e gaúcha piorou nos últimos seis meses, na visão dos empreendedores gaúchos. De acordo com o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI-RS) de agosto, elaborado pela FIERGS, o componente de condições atuais fechou com 43,8 pontos de um total de 100. Para os entrevistados, as recentes mudanças no cenário econômico − redução dos juros, desvalorização do real, incentivo ao crédito e os pacotes de apoio à indústria − ainda não conseguiram reverter as dificuldades do setor manufatureiro no Rio Grande do Sul.

Pelo terceiro mês consecutivo o Índice de Desempenho Industrial gaúcho (IDI-RS), elaborado pela FIERGS, apresentou queda. Em junho a desaceleração chegou a -1,6%, ante maio, sem os efeitos sazonais. "O ciclo de estagnação verificado há dois anos nas indústrias, alternando altos e baixos, piorou e no seu lugar agora temos uma trajetória de retração", lamentou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, Heitor José Müller, nesta segunda-feira (6).