AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

confiança

Porto Alegre, 31 de outubro de 2011 − A confiança do industrial gaúcho caiu um ponto na passagem de setembro para outubro, totalizando 51,8 pontos. O resultado foi o pior desde junho de 2009, quando as incertezas estavam associadas à forte crise mundial iniciada no ano anterior.

O Índice de Desempenho Industrial do RS (IDI-RS) de janeiro a agosto ficou estagnado ao registrar um desempenho de zero por cento, em relação ao mesmo período do ano passado.

Depois de oito meses de queda, a confiança do industrial gaúcho ficou estável de agosto para setembro. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI/RS), medido pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), passou de 52,1 pontos para 52,7 pontos. O resultado, no entanto, está abaixo da média nacional deste mês (56,4 pontos) e continua longe da média histórica no Estado (57,3 pontos).

A confiança da indústria gaúcha registrou uma queda de 3,2 pontos em agosto, na comparação com julho. Com esta desaceleração, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI-RS), medido pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), totalizou 52,1 pontos, o mais baixo desde abril de 2009, quando o setor era afetado pela crise mundial.

A atividade industrial gaúcha teve uma queda de 0,4% em maio, na comparação com abril, descontados os efeitos sazonais. Foi a terceira desaceleração em cinco meses. "O resultado expõe as dificuldades do setor em superar os principais entraves. Entre eles, a valorização cambial, os elevados juros e a escassez de mão de obra qualificada", explicou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Paulo Tigre, nesta terça-feira (5), ao divulgar o Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS).

A instabilidade que marca a atividade industrial gaúcha nos últimos 12 meses foi mais uma vez registrada. O setor fechou abril negativo em 0,6% diante de março, sem os efeitos sazonais, e interrompeu os dois crescimentos mensais anteriores. "Apenas o mercado interno mais aquecido não tem sido suficiente para garantir uma estabilidade positiva aos negócios.

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI-RS) de abril caiu 1,4 ponto em comparação a março e 11,2 pontos ante o mesmo mês do ano passado, totalizando 57,3 pontos. O resultado, divulgado pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), foi o mais baixo desde julho de 2009 e significou a terceira queda consecutiva. Os números variam de zero a 100 pontos e refletem as condições atuais e as expectativas para o futuro. Superior a 50 pontos é otimismo e abaixo, pessimismo.

O otimismo do industrial gaúcho em novembro teve uma redução de 2,1 pontos em comparação a outubro. Numa escala de 0 a 100 pontos, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI/RS) alcançou o valor de 58,6 pontos. Apesar da redução, o indicador medido pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) apontou que os empresários seguem confiantes em relação à economia brasileira e estadual e com seus negócios.

O otimismo do industrial gaúcho voltou a crescer em outubro, após cinco meses consecutivos de acomodação, e ficou acima da média histórica. Numa escala de 0 a 100 pontos, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI/RS) alcançou o valor de 60,7 pontos, 1,2 ponto acima do registrado em setembro. O indicador, elaborado pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), foi divulgado nesta quinta-feira (28).

A confiança do industrial gaúcho com a economia do Estado, do Brasil e com a situação da sua empresa caiu pelo terceiro mês consecutivo. Numa escala de 0 a 100 pontos, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI-RS), medido pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), atingiu 61 pontos, o que significou queda de 2 pontos em relação a junho e 8 pontos ante abril. Mas, o resultado se manteve bem acima da média histórica (57 pontos). "O otimismo continua, apesar de uma maior cautela.