Você está aqui

Programa Avançar RS

A indústria gaúcha é muito competitiva em termos produtivos e tem condições de concorrer em igualdade com manufaturas do mundo inteiro.

Sabemos que, historicamente, essa competitividade é duramente afetada por fatores exógenos, que fogem da alçada dos produtores. Um desses gargalos perenes é a infraestrutura precária e defasada, que resulta numa logística cara e ineficiente.

O governo do Estado do RS divulgou, na quarta-feira, um pacote que prevê R$ 5,2 bilhões de investimentos públicos e privados para os próximos 5 anos. Até 2022, quando termina o mandato do governador, a previsão é de um aporte de R$ 1,3 bilhão em recursos do próprio Estado. Foi apresentado o Eixo “Avançar no Crescimento”, focado em apoio à atividade econômica, desonerações fiscais, logística e mobilidade. Ainda serão apresentados os outros dois eixos, “Avançar para as pessoas” e “Avançar com sustentabilidade”.

Este investimento em infraestrutura para o próximo ano e meio é dividido entre melhorias em acessos municipais, ligações regionais e recuperação de vias, atuando diretamente em problemas crônicos da malha rodoviária estadual. O pacote apresentado tem os méritos de, além de aprofundar o programa de concessões estaduais, dando protagonismo à iniciativa privada, realiza investimentos com recursos próprios do Estado. Sabe-se que, em momentos críticos da economia, movimentos anticíclicos são fundamentais para a reativação das atividades econômicas, e o Governo do Estado acerta em adotar esta iniciativa, buscando equilíbrio entre concessões e investimentos públicos.

Vale ressaltar que os montantes anunciados ultrapassam em muito o nível de investimentos do histórico recente do Rio Grande do Sul. O Governo do Estado se credencia para capitanear este processo graças às reformas propostas pelo executivo e aprovadas pela Assembleia Legislativa, num esforço conjunto que visa ao benefício de todos os gaúchos. As reformas administrativas, concessões e privatizações em curso já geraram mais de R$ 700 bilhões de economia, cifra que deve se aproximar de R$ 1 bilhão em 2021 e ultrapassar essa marca ano que vem. Esses recursos, ao serem canalizados para as reformas de infraestrutura tão necessárias, trarão 18 meses de muito trabalho para setores geradores de emprego e de recursos para o próprio Estado.

Este pacote pode ser o passo inicial de uma longa e necessária caminhada para alavancar os investimentos em infraestrutura no Rio Grande do Sul. Precisamos diminuir os custos logísticos, melhorar nossa malha rodoviária, já que o tráfego de mercadorias é dez vezes mais caro em estradas não-pavimentadas. O custo de trafegar uma carga de soja por 80 km em estrada ruim, deve equivaler a levar esta mesma carga até a China por navio. A iniciativa privada e, em especial, a indústria gaúcha, estão prontas para continuar contribuindo para o desenvolvimento do Estado, promovendo melhorias que beneficiarão todos os setores da nossa economia. Como disse o Dr. Jorge Gerdau, reunido com o então Governador José Ivo Sartori, na FIERGS, a economia gaúcha enfrenta três problemas: logística, logística e logística. Esperamos que este seja o início da solução.

Importante ressaltar que, para continuar a recuperar a nossa infraestrutura é fundamental avançar nas reformas estruturais, principalmente na emenda do teto de gastos.

quarta-feira, 7 de Julho de 2021 - 10h10

Deixe um Comentário

CAPTCHA
This question is for testing whether or not you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
10 + 4 =
Resolva este problema matemático simples e digite o resultado. Por exemplo para 1+3, digite 4.