Você está aqui

Atividade Industrial do RS recua 13,1%

Resultado de janeiro, o pior desde 1991, foi divulgado pela FIERGS

A atividade industrial no Estado caiu 13,1% em janeiro, na comparação com o mesmo período de 2008. Foi a maior queda da série do Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), que iniciou em 1991. Em relação à dezembro, já descontados os efeitos sazonais, a retração chegou a 3,8%. "O resultado do primeiro mês de 2009 mostra o aprofundamento da crise mundial na economia gaúcha", afirmou o presidente da entidade, Paulo Tigre, lembrando que o índice já vinha negativo em novembro

(-4,7%) e dezembro (-8,2%).

Todas as variáveis da pesquisa registraram perdas. Os indicadores associados à produção foram os mais afetados, com recuos nas compras (-35,1%), no faturamento (-20,4%) e nas horas trabalhadas (-8,8%). Já a Utilização da Capacidade Instalada (UCI) diminuiu 6%, ficando em 78,6%, a mais baixa desde 1999. "O índice de difusão demonstra que as dificuldades estão bastante disseminadas no setor produtivo. A queda no faturamento, por exemplo, atingiu 72% das 260 indústrias pesquisadas", salientou Tigre.

Em relação aos índices do mercado de trabalho, o emprego verificou a primeira retração em 24 meses, encerrando janeiro com decréscimo de 1,4%. A massa salarial caiu 2,5%, a segunda queda consecutiva. As maiores perdas do emprego atingiram os setores de Couros e Calçados (-8,4%), Máquinas e equipamentos (-2,8%) e Borracha e Plásticos (-4,3%).

Os efeitos da turbulência global, conforme verificado no IDI-RS de janeiro, se espalharam pela maioria dos setores industriais. Dos 17 pesquisados no Estado, 15 deles tiveram resultados negativos. As principais quedas foram em Metalurgia Básica (-43,8%), Químicos (-32,7%), Produtos de Metal (-25,8%) e Máquinas e Equipamentos (-17,1%).

Publicado Terça-feira, 3 de Março de 2009 - 0h00
30/09/2022
Educação Empresarial
30/09/2022
Institucional