Você está aqui

As exportações da indústria gaúcha totalizaram US$ 992,8 milhões em março, elevação de 18,2% na comparação com o mesmo mês do ano passado, resultado que fica acima do crescimento nacional de 12% para o período. Já no primeiro trimestre, as vendas externas do RS acumularam US$ 2,7 bilhões, valor 13,1% superior comparado a igual período de 2020. “O aumento das compras de nossos produtos por importantes parceiros como Estados Unidos e Argentina ajuda a explicar essa recuperação das exportações”, afirma o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry.

Na análise por setores de atividade econômica, dos 23 segmentos da indústria que registraram algum embarque no RS em março, 17 subiram o valor exportado na base de comparação interanual. O resultado positivo é justificado especialmente pela disseminação do crescimento das exportações para os Estados Unidos (17,2%) e Argentina (26,8%). Além disso, o bom desempenho dos setores de Alimentos (18,8%), Químicos (36,8%), Tabaco (17,4%), Máquinas e equipamentos (29,9%) e Produtos de metal (65,9%) também contribuíram.

O incremento nas vendas do setor de Alimentos no mês se deve, em parte, à maior demanda chinesa por proteínas, cujo aumento foi superior a 36%, principalmente de carne suína. Químicos foi beneficiado pelos aumentos significativos de embarques para Países Baixos, Estados Unidos, China e Argentina. Tabaco cresceu devido ao aumento das exportações para a Bélgica, principal comprador do setor no Estado. Já Máquinas e equipamentos tiveram elevação em razão dos embarques para o Paraguai, enquanto Produtos de metal foi impulsionado pela Argentina e pelos Estados Unidos. As exportações do setor metalmecânico vivem boa perspectiva também em razão da valorização das commodities metálicas, assim como pela forte demanda por máquinas agrícolas e produtos de metal.

IMPORTAÇÕES
Quanto às importações, o Estado adquiriu US$ 775,6 milhões em mercadorias no mês de março, demanda 30,3% maior em relação a igual período de 2020. Bens intermediários, com 30,8%, e Bens de capital, com 48,9%, puxaram a alta do mês. No primeiro trimestre, o Rio Grande do Sul importou US$ 1,9 bilhão, resultado 9,2% superior aos três primeiros meses do ano passado. Com exceção de Combustíveis e lubrificantes (-34,2%), todas as grandes categorias subiram o valor importado, sendo a maior variação em Bens de capital (16,8%), seguido de Bens intermediários (12,4%) e Bens de consumo (11,2%).

Publicado Terça-feira, 13 de Abril de 2021 - 16h16
30/09/2022
Educação Empresarial
30/09/2022
Institucional