Menssagem de erro

O arquivo não pôde ser criado.

Você está aqui

Exportações industriais gaúchas crescem 22% no trimestre

Os resultados foram divulgados nesta quinta-feira pela FIERGS

As exportações da indústria gaúcha cresceram 22% no primeiro trimestre de 2008, em comparação com o mesmo período do ano passado, totalizando US$ 3,19 bilhões. Uma performance bem acima da média nacional, que registrou elevação de 12%. Os números foram divulgados nesta quinta-feira (17) pelo presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Paulo Tigre. "Esses resultados refletem o forte crescimento mundial, em especial da Argentina, que tem nos demandado máquinas, equipamentos e alimentos", afirma o industrial, lembrando que as consequências da greve dos fiscais da Receita Federal ainda não impactaram a balança comercial, o que pode acontecer nos dados de abril.

O presidente da FIERGS salientou que há preocupações daqui para a frente. "De um lado, temos a greve nas aduanas retraindo as nossas relações internacionais. De outra parte, o derretimento do dólar traz sérias preocupações. E a essas questões soma-se ainda o recente aumento da taxa de juros, compondo um cenário que inibe a economia brasileira", salientou Tigre.

O maior desempenho setorial nos três primeiros meses do ano foi de Alimentos e Bebidas. Suas vendas somaram US$ 927 milhões, com elevação de 47%, ante igual período de 2007. Os principais produtos foram carne de frango in natura e óleo de soja. Já Couro e Calçados embarcaram US$ 487 milhões, seguido pelo Químico, que somou US$ 414 milhões (produtos plásticos e químicos orgânicos), e Máquinas e Equipamentos, com US$ 357 milhões. Os quatro setores juntos responderam por 62% das vendas. Já as exportações globais do Rio Grande do Sul (indústria e agropecuária) geraram, no acumulado do ano, US$ 3,50 bilhões, uma elevação de 25%.

As importações de produtos industriais, por sua vez, subiram 71%, somando US$ 3,16 bilhões. As compras se concentraram em Químico (US$ 420 milhões), majoritariamente nafta para petroquímica e químicos orgânicos; Material de Transporte (US$ 381 milhões); Refino de Petróleo (US$ 316 milhões); e Máquinas e Equipamentos (US$ 228 milhões). Estes segmentos juntos representaram 40% das importações da indústria. "O resultado é reflexo da forte atividade industrial no Estado, sinalizadas pelas demandas de matéria-prima para produção futura", salienta o presidente da FIERGS.

Em março, as exportações totais do Rio grande do Sul chegaram a US$ 3,50 bilhões, um aumento de 25% em comparação com o mesmo mês do ano passado, mantendo o Estado no terceiro lugar do ranking nacional. As importações gaúchas cresceram 75% e renderam US$ 3,33 bilhões, um percentual bem acima da média brasileira (42%). "As compras gaúchas se concentraram basicamente em combustíveis e lubrificantes devido às demandas do nosso Pólo Petroquímico. Sem estes produtos, as importações teriam um desempenho mais baixo, de apenas 28%", explica Paulo Tigre.

Em relação aos principais destinos, a Argentina continua liderando as compras do Estado pelo segundo mês consecutivo com 12% de participação em março, seguida por Estados Unidos (11%) e Paraguai (4%).

Exportação Global do Rio Grande do Sul (indústria e agropecuária)

1º TRIMESTRE 2008

1º - São Paulo − US$ 12,45 bilhões

2º - Minas Gerais − US$ 4,56 bilhões

3º - Rio Grande do Sul − US$ 3,50 bilhões

4º - Paraná - US$ 3,10 bilhões

5º - Rio de Janeiro − US$ 2,89 bilhões

Publicado quinta-feira, 17 de Abril de 2008 - 0h00
30/09/2022
Educação Empresarial
30/09/2022
Institucional