Você está aqui

Representatividade

FIERGS destaca que mudanças constantes e restrições às atividades da indústria geram insegurança

A ampliação das restrições às atividades da indústria determinada em decreto pela prefeitura de Porto Alegre, nessa terça-feira (23), traz mais perdas ao setor e desorganiza a economia privada, já bastante afetada pela pandemia provocada pelo coronavírus, avalia a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS). A entidade, desde o início da crise, defende o equilíbrio entre os cuidados com a saúde da população e a economia. “Essas constantes alterações e mudanças de uma semana para outra nos dão muita insegurança.

FIERGS manifesta preocupação com troca de bandeiras

A Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS) manifesta preocupação com as mudanças para bandeiras restritivas em função da Covid-19, atingindo diversas Regiões gaúchas. Segundo a entidade, as alterações promovidas como decorrência do modelo adotado pelo Executivo estadual não podem gerar insegurança a empreendedores e empregados por não saberem quando e como poderão trabalhar, desorganizando completamente a economia privada.

A INDÚSTRIA ASFIXIADA E O ESTADO SOB PRESSÃO

Desde o início da pandemia, a indústria gaúcha vem registrando uma descomunal queda no seu nível de atividade. Segundo pesquisa da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, 60% das empresas apresentam queda intensa na produção fabril, e 72% apontam redução drástica de faturamento. Essa realidade leva ao fechamento de vagas de trabalho, como lamentavelmente mostrou o recente relatório do Caged :  1,1 milhão de brasileiros ficaram sem emprego formal nos meses de março e abril.

Preocupação é a de manter empresas ativas e pessoas com renda, diz presidente da FIERGS

A indústria deve tomar a frente na retomada que o Brasil necessita após  superada a grave crise do coronavírus, entende o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry, em manifestação pelo Dia da Indústria, comemorado em 25 de maio. Para essa recuperação ocorrer, porém, será fundamental medidas que preservem o setor, além da continuidade do ajuste fiscal e das reformas estruturais que o Brasil vinha implementando, entre elas a venda de empresas estatais que não são estratégicas para o País.

Presidente da FIERGS e vice-presidente Mourão debatem os reflexos da crise para o Brasil

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry, sugeriu na manhã dessa sexta-feira (15), ao participar de uma live com o vice-presidente da República general Hamilton Mourão, que o Governo Federal crie um fundo para socorrer diretamente as empresas, com linha direta, de R$ 40 ou 50 bilhões. A ideia, segundo Petry, é “irrigar a economia” brasileira em um momento tão crítico, abalada pela forte crise provocada pela pandemia do coronavírus, sem precisar passar pela burocracia das instituições bancárias.

FIERGS destaca que restrição ao comércio afeta recuperação da indústria e do emprego

O novo decreto de distanciamento controlado do governo do Estado, que passou a valer essa semana, pouco altera a situação da indústria, pois mantém o funcionamento parcial do setor, apenas estabelecendo cores de bandeiras para cada região com maior ou menor risco de contágio pelo coronavírus. Porém, como continuam as limitações severas ao comércio nos municípios gaúchos, a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS) ressalta ser esse um fator a influenciar nas retomadas da indústria e do emprego, que levarão ainda mais tempo.

Indústria gaúcha pede a ministros maior facilidade no acesso ao crédito

O presidente eleito da FIERGS e presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas no Rio Grande do Sul (Simers), Claudio Affonso Amoretti Bier, reforçou ao ministro da Agricultura e Pecuária (Mapa), Carlos Fávaro, a certeza de que o Rio Grande do Sul se reerguerá, após a crise provocada pelas enchentes de maio, com a parceria dos governos federal e estadual junto à inciativa privada.

Entidades empresariais se reúnem com o governador Leite e o ministro Pimenta

Em reunião no Palácio Piratini com o governador Eduardo Leite e com o ministro de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo Pimenta, entidades empresariais, entre elas a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), reforçaram demandas importantes para dar andamento ao trabalho de reconstrução do setor produtivo e do Estado, abalados pelas enchentes de  maio.

Claudio Affonso Amoretti Bier é eleito para presidir o CIERGS

Claudio Affonso Amoretti Bier foi eleito, nesta terça-feira (25), para presidir o Centro das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (CIERGS) no período 2024/2027. A votação ocorreu de forma híbrida, com os votos presenciais na Associação Leopoldina Juvenil, em Porto Alegre. Em 21 de maio, Bier já havia sido escolhido para presidir a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), “Vamos implementar o nosso programa e trabalhar para que a indústria do Rio Grande do Sul cada vez fique melhor, que venha a sair dessa situação que estamos.

FIERGS debate ações destinadas à recuperação das indústrias prejudicadas pelas enchentes

A FIERGS, por meio do Conselho da Pequena e Média Indústria (Copemi) e da Unidade de Desenvolvimento Sindical (Unisind), realizou nesta semana o evento Diálogos Emergenciais. Foram três encontros para compartilhar informações e debater temas de interesse das indústrias, especialmente neste período de calamidade enfrentado pelo Estado. As reuniões on-line tiveram a participação de representantes de indústrias, presidentes, diretores e executivos de Sindicatos Industriais.