AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

Política Industrial do governo está aberta a adaptações

Desenvolvimento

O anúncio da Política Industrial do governo estadual foi um ponto de partida, segundo o presidente do Sistema FIERGS, Heitor José Müller, após a apresentação das medidas no Palácio Piratini. "O plano é muito bom por ser evolutivo, ou seja, vai sendo alterado e adaptado. Está aberto ao crescimento de necessidades futuras que poderão passar por eventuais correções", destacou.

A política industrial foi lançada nesta quarta-feira (28) no Palácio Piratini em Porto Alegre com os objetivos de recuperar a competitividade das empresas, aumentar o grau de internacionalização da economia gaúcha e ampliar a capacidade de inovação. O modelo, sustentado em cinco eixos - Política Setorial, Política da Economia da Cooperação, Política da Firma, Instrumentos Transversais e Programas e Projetos de Infraestrutura para o Desenvolvimento - faz parte da estratégia de desenvolvimento do governo do Estado. "Vamos sair das nossas agruras financeiras crescendo. Agora temos um instrumento poderoso que dará coesão ao desenvolvimento do Estado", disse o governador Tarso Genro, que salientou a profundidade das medidas e a conexão das propostas com a base industrial já instalada. O evento de lançamento contou também com o secretário de Inovação do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Nelson Fujimoto.

O secretário de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (SDPI), Mauro Knijnik, apresentou os princípios gerais da iniciativa, que organiza os instrumentos disponíveis para promover a atração de investimentos. "A Política Industrial é ampla, e os seus instrumentos atendem a todos os setores de nossa diversificada economia, valorizando a capacidade de competir por meio da inovação", explicou Knijnik.

A montagem da Política Industrial consumiu 10 meses de trabalho do Sistema de Desenvolvimento Econômico, sob a coordenação da SDPI e a operação técnica da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI). Foram escolhidos 22 setores, da Economia Tradicional e da Nova Economia, organizados de acordo com as prioridades de desenvolvimento.

Parte das ações que compõem a Política Industrial já estão em andamento, como a adequação do Fundopem e do Integra-RS, a Sala do Investidor e a Economia da Cooperação. A Política Setorial engloba 267 ações, sendo 51 transversais, que podem beneficiar todos os setores da economia gaúcha e o restante, específicas para os setores. Das medidas, 64% beneficiam os segmentos da Economia Tradicional e 36% da Nova Economia.

Entre as propostas anunciadas, o governo gaúcho se compromete a realizar o diferimento parcial na aquisição de insumos produzidos no Estado. Além disso, a administração estadual irá realizar a redução gradativa do prazo de creditamento do ICMS incluído nas aquisições de ativo permanente provenientes do Rio Grande do Sul. A Política também prevê o apoio à manutenção de áreas e distritos industriais nos municípios, a qualificação dos parques tecnológicos existentes e a criação de novos. Outra ação anunciada é a formação profissionalizante.

Como mecanismo de expansão internacional da economia, a Política Industrial vai apoiar a participação de empresas gaúchas em feiras internacionais no Brasil e no Exterior, em missões prospectivas, governamentais e de manutenção. Em 2012, serão apoiadas 54 feiras e 17 missões. Também integram o plano de desenvolvimento industrial os programas estaduais de ampliação da infraestrutura para a atividade empresarial, como os R$ 2,6 bilhões que serão investidos pela Secretaria de Infraestrutura e Logística até 2014 e o valor de R$ 1,6 bilhão aplicado pela CEEE na melhoria das condições de geração, distribuição e transmissão de energia elétrica.

O conteúdo completo está no site www.saladoinvestidor.rs.gov.br