AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

gás

Foi inaugurada nesta quarta-feira o Laboratório de Válvulas Industriais Micromazza do Instituto Senai de Tecnologia em Petróleo, Gás e Energia. O espaço é uma ação conjunta do Senai e a empresa Micromazza de Vila Flores (RS) com o objetivo de cooperação e intercâmbio tecnológico-científico, capacitação para a indústria, ensino profissionalizante, pesquisa e extensão. 

A indústria brasileira que atua como fornecedora para a cadeia produtiva de petróleo e gás não concorda com a determinação do governo federal em alterar as regras da chamada Política de Conteúdo Local.

O Movimento Produz Brasil, cujo um dos objetivos é o de valorizar o papel do setor de bens e serviços da cadeia de valor de petróleo e gás na geração de emprego e renda, realiza o evento "Perspectivas para a indústria nacional com os próximos leilões e as novas regras de conteúdo local no Brasil para o setor de óleo e gás”. Será na sede da FIERGS, em Porto Alegre, na quinta-feira, dia 23, a partir das 14h.

Em uma iniciativa conjunta entre a Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), 23 empresas ligadas aos segmentos de petróleo, gás, naval e offshore terão três dias de evento para impulsionar seus projetos de desenvolvimento. É a maratona “Integrando Oportunidades – Encontro de Boas Práticas e Sessão de Negócios”, que será realizada nos dias 30 de novembro, 1º e 2 de dezembro, na FIERGS (Av. Assis Brasil, 8787 – Salas D2 211-212).
 
O Seminário com apresentação dos projetos estratégicos dos polos de competitividade franceses Mar Bretanha – Atlântico e Mediterrâneo foi realizado nesta quinta-feira (29), pelo Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore (CCPGE) da FIERGS, em parceria com o Sebrae e Business France. “Acreditamos em parcerias tecnológicas, comerciais e de inovação com empresas brasileiras e, em especial, gaúchas. É um trabalho de mão dupla e de médio e longo prazo”, disse o diretor do setor de Energia da Embaixada da França, Hamza Belgourari.
Estudo contratado pelo Fórum Sul e pelas distribuidoras de energia (SCGás, Sulgás e Compagas) confirma a demanda por gás na região. Hoje, o mercado industrial do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e Paraná consome em média 3,7 milhões de m³ por dia, mas tem potencial absorver de 11,28 milhões m³ por dia, mostra trabalho realizado pela consultoria Gas Energy, e apresentado nesta sexta-feira (5), em Florianópolis. Além da FIERGS, integram o Fórum a Fiep e a Fiesc.

Uma nova fonte natural de energia está mobilizando governos e empresários de diversos países em busca de independência energética. O Shale Gas (gás natural produzido a partir do xisto) é semelhante ao petróleo e pode ser usado como combustível de carros, geração de eletricidade, aquecimento de casas e para a atividade industrial.

Empresas que queiram passar a utilizar gás natural ou ampliar seu uso não ouviram perspectivas de soluções de suprimento no curto prazo durante a reunião do Fórum Industrial Sul, realizada nesta sexta (10) para debater as perspectivas para o setor, na Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC). Presente no evento, o secretário do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, destacou os esforços de exploração de gás em terra, mas afirmou que a ampliação da oferta do insumo só virá no médio e longo prazo.

Um mapeamento de empreendimentos com potencial para integrar a cadeia nacional de fornecimento do setor de petróleo e gás foi lançado nesta terça-feira (23). O estudo, que abrangerá 100 empresas das áreas metalmecânica, eletroeletrônica e de polímeros, busca conhecer os processos produtivos e identificar as competências tecnológicas de cada uma. "Às vezes, as indústrias já desenvolvem produtos para outros segmentos que podem ser aplicados ao de óleo e gás", afirmou o coordenador do Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore da FIERGS, Marcus Coester.

Tornar a cadeia produtiva de petróleo, gás e offshore cada vez menos dependente de produtos e serviços importados e, ao mesmo tempo, preparar fornecedores nacionais para a conquista de oportunidades de negócios na área. Esse é o objetivo do programa Plataformas Tecnológicas (Platec) para a Indústria de Petróleo e Gás, da Organização Nacional das Indústrias do Petróleo (Onip), tema de encontro realizado na sede da FIERGS, nesta terça-feira (26).