AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

confiança

O crescimento de 4% na atividade da indústria gaúcha em fevereiro, em comparação com janeiro, não chega a caracterizar um revigoramento do setor no Rio Grande do Sul, aponta o Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), divulgado pela FIERGS nesta quinta-feira (3). "Não há um indicativo de mudança no cenário, e o resultado positivo nem representa uma tendência.

O Índice de Confiança do Empresário Industrial do RS (ICEI-RS) de março cresceu 1,8 pontos na comparação com fevereiro, atingindo 51,9. Esse desempenho foi importante, pois interrompeu três meses seguidos de queda, apesar de permanecer bem abaixo da série histórica, iniciada em 2010, e inferior a média do mês: 58,2 pontos.

O Índice de Confiança do Empresário Industrial no Rio Grande do Sul (ICEI-RS) caiu pelo terceiro mês seguido e registrou 50,1 pontos em fevereiro, um recuo de 1,4 ponto na comparação com janeiro. O resultado foi influenciado pelas condições atuais negativas da empresa e da economia brasileira e gaúcha (45 pontos). Elaborado mensalmente pela FIERGS, o ICEI-RS varia numa escala de 0 a 100 pontos. Quanto mais os valores estiverem acima de 50 denotam maior otimismo e quanto mais abaixo, pessimismo.

A FIERGS realiza, através do seu Centro Internacional de Negócios (CIN-RS), o encontro BITS Business Matchmaking, em sua sede, nos dias 14 e 15 de maio. As inscrições estão abertas e podem ser feitas através do site www.b2match.eu/bits2014 até o dia 30 de abril. As vagas são limitadas. O objetivo do evento é proporcionar negócios e estabelecer parcerias com empresas internacionais do setor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). A iniciativa conta com a parceria da Apex-Brasil e do Sebrae/RS, com apoio da Europe Enterprise Network (EEN).

Os industriais gaúchos iniciaram 2014 menos otimistas devido ao ambiente de negócios para a empresa e às condições atuais da economia. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI/RS) recuou 0,7 ponto na passagem de dezembro para janeiro, atingindo 51,4 pontos, o valor mais baixo para o primeiro mês do ano desde 2010. Elaborado mensalmente pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), o levantamento varia numa escala de 0 a 100 pontos. Quanto mais os valores estiverem acima de 50 denotam maior otimismo e quanto mais abaixo, pessimismo.

Em 11 de fevereiro, às 14h, a FIERGS realiza a palestra Siscoserv − Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, no sede da entidade. O evento terá a participação do diretor de Políticas de Comércio e Serviços, da Secretaria de Comércio e Serviços do MDIC e presidente do Siscoserv, Maurício Lucena do Val.

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI/RS) teve uma recuperação parcial em novembro (53 pontos), após a queda verificada no mês de outubro (51,2), retornando ao nível que vigorava em setembro. No entanto, permanecem negativas as variáveis em relação às condições atuais da economia brasileira e gaúcha. Elaborado mensalmente pela FIERGS, o ICEI-RS varia numa escala de 0 a 100 pontos. Quanto mais os valores estiverem acima 50 denotam maior otimismo e quanto mais abaixo, pessimismo.

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI/RS) melhorou em agosto (51,3 pontos), após a onda de pessimismo com as grandes manifestações de rua, que em julho levou o indicador (48,6 pontos) aos patamares da crise de mundial de 2008. "No entanto, o índice continua baixo, refletindo a frustração dos empresários com relação ao fraco dinamismo da economia brasileira e o alto grau de incerteza quanto ao seu futuro", avaliou presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Heitor José Müller.

A atividade industrial gaúcha avançou 1,6% em junho, em relação ao mês anterior, já descontados os efeitos sazonais, suprimindo parte da queda de registrada em maio (-1,8%). "O resultado confirmou mais uma vez a trajetória instável que vem caracterizando o processo de recuperação do setor.

A confiança dos industriais gaúchos caiu pela quinta vez consecutiva e somou 48,6 pontos em julho, de um total de 100, atingindo o menor patamar em quatro anos. O índice, medido pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), recuou 5,3 pontos em comparação com junho.